http://www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/03/Foto_destacada-1024x400.jpg
Governo

Ações na Economia e na Segurança são apresentadas para embaixador do Brasil no Peru

Wesley Moraes
13.03.2019 10:15
Atualizado 13.03.2019 às 10:33

Rodrigo Baena Soares tratou os assuntos como prioridade e prometeu levar demandas para conhecimento do governo federal

O governador do Estado do Acre em exercício, Major Rocha, apresentou para o embaixador do Brasil no Peru, Rodrigo Baena Soares, as principais ações que a nova gestão pretende implantar junto ao país vizinho, nos próximos anos.

Uma delas diz respeito ao estreitamento na relação comercial entre Acre e Peru. Atualmente, entraves burocráticos dificultam o crescimento da importação e exportação de produtos e insumos entre brasileiros e peruanos.

Assim como o Brasil, o Peru é um grande celeiro de alimentos e matérias-primas para o setor industrial. Porém, a falta de estrutura alfandegária, a alta carga de impostos e leis estabelecidas por ambos os países são os principais fatores que causam embaraços para o fortalecimento do comércio entre as duas nações.

Governador do Estado do Acre em exercício, Major Rocha, o embaixador do Brasil no Peru, Rodrigo Baena Soares, com a cúpula da Segurança Pública, em encontro na tríplice fronteira, em Assis Brasil (Foto: Odair Leal/Secom)

Para Rocha, o Acre vive um novo momento de sua história. O gestor destacou o empenho do governo em abrir o Estado para o desenvolvimento por meio do agronegócio. Visionário, Rocha já enxerga o país vizinho como um potencial mercado consumidor da produção acreana.

“Vamos precisar exportar a nossa produção e o Peru, certamente, é um mercado de mais de 32 milhões de consumidores muito interessante para o Acre. Mais que isso, também temos muitos produtos peruanos que precisamos comprar, como, por exemplo, o calcário. Precisamos facilitar essa relação comercial e, com isso, todos ganharão no final”, enfatizou.

O embaixador brasileiro ficou entusiasmado ao conhecer a determinação da gestão estadual em buscar novos acordos comerciais com o país vizinho. Rodrigo Baena afirmou durante a reunião que a remoção de barreiras burocráticas será tratada com prioridade e se comprometeu a levar o assunto para o conhecimento do governo federal.

“É muito importante e oportuna esta visita ao Acre para conhecer a realidade desta região de fronteira e poder ter uma visão ampla de tudo que se passa por aqui. A partir de agora, nossa embaixada, em Lima, atuará fortemente em favor de uma maior aproximação comercial e de tudo aquilo possa trazer mais desenvolvimento para a população dos dois países”, argumentou.

No posto de embaixador do Brasil no Peru há quatro meses, esta é a primeira visita de Rodrigo Baena Soares a região fronteiriça do Acre.

O encontro com o governador em exercício ocorreu nesta terça-feira, 12, na sede da Prefeitura Municipal de Assis Brasil (distante 344 quilômetros de Rio Branco) e contou com a presença dos secretário de Estado de Segurança Pública, Paulo Cézar Rocha dos Santos, do secretário de Estado de Polícia Civil, Rêmulo Diniz e demais autoridades.

Novos acordos de cooperação e integração da Segurança Pública entre Brasil e Peru

Outra proposta apresentada durante a reunião tratou a formalização de acordos de cooperação e integração entre as polícias brasileiras e peruanas.

O secretário de Segurança Pública apresentou deficiências que existem entre os países vizinhos, mas que podem ser solucionadas com o estabelecimento de relações institucionais entre os órgãos brasileiros e peruanos.

Governador do Estado do Acre em exercício, Major Rocha, com o embaixador do Peru no Brasil, Rodrigo Soares e a cúpula da Segurança, em Iñapary (Foto: Odair Leal/Secom)

O gestor da pasta citou que o banco de dados entre a Justiça do Brasil e Peru não é interligado. Assim como troca de informações de foragidos entre a Interpol das duas nações.

Paulo Cézar dos Santos defendeu ainda a definição de acordos para devolução de bens roubados ou furtados em um dos territórios, maior integração dos setores de inteligência das policias, realização de operações ostensivas conjuntas nos dois países e melhorias nas definições dos marcos e limites fronteiriços de Brasil e Peru.

“Precisamos avançar nessa questão que é de interesse dos dois países e sabemos que esta região de fronteira é muito estratégica. Com a união das forças policiais do Brasil e Peru, vamos conseguir dar um duro golpe contra a criminalidade e dar uma resposta à altura que a sociedade dos dois países espera”, afirmou.

Mais notícias