Meio Ambiente

Acre reduz em 34% desmatamento ilegal, afirma Inpe

Maria Meirelles
17.10.2017 18:24

As políticas de desenvolvimento sustentável do governo do Estado são pautadas na preservação da floresta e ocupação produtiva das áreas abertas. Nesta terça-feira, 17, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou estudo sobre o desmatamento ilegal na Amazônia. A pesquisa aponta que o Acre reduziu em 34% essas ações.

Os dados são referentes ao período entre agosto de 2016 a julho deste ano. Em toda a Região Amazônica, o decrescimento foi de 16%. A análise foi realizada por meio do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes).

Estado tem ganhado destaque no cenário internacional e nacional ao apostar numa política de desenvolvimento sustentável (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Segundo as estimativas do Prodes 2017, os estados com maior redução são, respectivamente, Tocantins (55%), Roraima (43%), Acre (34%) e Pará (19%). Os dados consolidados serão divulgados no primeiro semestre de 2018.

“Essa é a confirmação de todo o esforço do governo, tanto na parte de fiscalização quanto nos incentivos para exploração das áreas abertas. Várias são as alternativas oferecidas para que se tire da floresta o que ela tem de melhor, gerando emprego e renda e mantendo-a de pé”, salienta o secretário de Estado de Meio Ambiente, Edegard de Deus.

Com 87% de floresta preservada, o Acre é o primeiro no mundo a executar programa global REM (REDD Early Movers – pioneiros na conservação), agregando resultados em sua socioeconomia.

O estado tem ganhado destaque no cenário internacional e nacional ao apostar numa política de desenvolvimento sustentável, pautada na valorização do ativo ambiental, e produção diversificada e melhoria da qualidade de vida da população urbana e rural.

Compromisso

Por reconhecer a importância da floresta para a vida no planeta e militar na defesa de uma economia sustentável, o Estado assumiu o compromisso, com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), de zerar o seu desmatamento até 2020.

“Nossas atividades econômicas são pautadas no respeito às questões ambientais, sociais e climáticas”, observa Edegard de Deus.

Outras pesquisas

Recentemente, o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) publicou o resultado do levantamento bianual sobre o desmatamento ilegal na região. Na pesquisa, o Acre apresentara um índice de redução de 32%.

Mais notícias