Aldemir, sempre a postos

Aldemir, sempre a postos

A rotina de Aldemir Nogueira é puxada: ele levanta às 4h30, prepara o café da manhã da família e vai trabalhar. Às 6 horas, já está na Secretaria de Comunicação do Acre, no centro de Rio Branco, onde assume uma função pouco comum entre homens: auxiliar de limpeza.

Durante toda a manhã, varre, passa pano, coa – mais – café, tira pó, limpa banheiros, lava a louça e ainda realiza serviços de “faz tudo”. O ofício que muitos homens julgam que seja “de mulher”, ele desempenha com desenvoltura, competência e bom humor. “Quando eu era pequeno, meus pais se separaram e fui morar com outras famílias. Aí sempre precisava ajudar e eu fui aprendendo a dar conta de tudo”, relata. Sua chefe, Inês Pontes, confirma: “Ele é disponível e tem iniciativa”.

Em casa não é diferente. Assume as tarefas igualitariamente com a mulher, Luciana. Sabe cozinhar, faxinar, lavar roupa e cuidar das crianças. Ao todo, tem quatro filhas, sendo duas do primeiro casamento, e mais uma enteada. A mais velha tem 19 anos, a mais nova, nove meses.

E ele arranja tempo para lhes dar atenção. Há poucos dias, Ludmylla, de cinco anos, fez-lhe uma encomenda: “Eu pedi para o pai fazer uma casinha pra mim. A minha tia deu a madeira, e ele tá realizando o meu sonho”, relata a menina, com um sorriso luminoso.

Sua matéria preferida na escola é matemática e ela está literalmente contando as horas para a conclusão da obra: “Ele prometeu que ia fazer em seis dias, já passaram dois”. Ocupado com a missão especial, Aldemir até suspendeu, por enquanto, as sonecas da tarde, que costumam compensar o despertar na madrugada.

Luciana também tem o que contar do marido: “Meu resguardo foi tranquilo, ele e a Desyvania, minha filha mais velha, cuidaram de todo o serviço da casa. Não precisava me preocupar”, diz ela, esposa há 12 anos.

Mas o que há de tão especial na atitude de Aldemir?  É que, companheiro, ao dividir as tarefas ombro a ombro com a mulher, não a deixa sobrecarregada, o que lhe dá, inclusive, mais tempo e tranquilidade para se dedicar à bebê, Alexsandra, que demanda atenção de noite e de dia.

De trato sereno e afetivo, ele demonstra às suas meninas que elas são dignas de serem amadas e bem tratadas, o que as ajuda a constituir uma autoestima consistente, com saúde física e emocional.

Ao agir assim, Aldemir não faz pouco. Na singeleza do seu cotidiano, enquanto defende o sustento e contribui para a harmonia do seu lar, ajuda a construir um mundo melhor para todos, especialmente as mulheres.

Texto: Onides Bonaccorsi Queiroz || Fotos: Alexandre Noronha || Design: Adaildo Neto