Saúde

Banco de Leite Humano da Maternidade recebe certificado de qualidade

Álefe Souza
05.12.2017 18:00

Coordenador do Banco de Leite explica que diversos critérios são analisados para a certificação (Foto: Júnior Aguiar)

O Banco de Leite Humano da Maternidade Bárbara Heliodora recebeu na última semana um importante reconhecimento da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (rBLH). Durante o Encontro Nacional de Referências Estaduais para Bancos de Leite Humano, no Rio de Janeiro, de 29 de novembro a 1º de dezembro, o banco acreano recebeu a Certificação da Qualidade de BLH, entregue aos que cumprem os critérios definidos para habilitação.

O encontro reuniu autoridades do Ministério da Saúde (MS) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e 28 coordenadores dos centros de referência de todo o Brasil. Durante a programação, foram apresentadas as inovações e desafios da rBLH. O Programa de Certificação dos Bancos de Leite Humanos para o Sistema Único de Saúde também foi lançado durante o evento.

De acordo com Hélio Pinto, coordenador do Banco de Leite de Rio Branco, são avaliados vários critérios para que o certificado seja concedido.

“Nosso Banco de Leite alcançou bons resultados nessa avaliação e foi credenciado para continuar exercendo o trabalho que já é desenvolvido dentro da Maternidade e no Hospital da Criança, buscando não apenas incentivar o aleitamento materno, como a doação desse leite para bebês prematuros e de baixo peso que necessitam de uma complementação”, afirmou.

De janeiro a outubro deste ano, o BLH de Rio Branco atendeu pouco mais de 470 recém-nascidos com as doações de leite recebidas e contou com 635 doadoras nesse período.

Para manter esse trabalho, a unidade conta única e exclusivamente com as doações de mães internadas na maternidade ou que ligam para efetuar a doação. Infelizmente, esse número ainda não é o suficiente.

“O ideal seria que o Banco de Leite atendesse toda a demanda de recém-nascidos, mas como não é possível, restringimos aos bebês com até 1,5 quilo que se encontram nas Unidades de Tratamento e Cuidado Intensivos, Rede Canguru ou que tenham algum problema de saúde”, explicou Pinto.

 

 

 

Mais notícias