Governo

Com apoio do governo, mulheres indígenas criam associação em aldeia

Ludmilla Santos
21.03.2016 15:56

Edina Shanenawa veio à SEPMulheres agradecer o apoio do governo na criação da associação (Foto: Ludmilla Santos/Secom)

Edina Shanenawa veio à SEPMulheres agradecer o apoio do governo na criação da associação (Foto: Ludmilla Santos/Secom)

O termo empoderamento feminino foi levado a sério por Edina Shanenawa, representante de Articulação Política da Aldeia Shanekaya, em Feijó.  Com apoio e orientação do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Política para as Mulheres (SEPMulheres), Edina e as mulheres indígenas de sua aldeia criaram, com todo o procedimento legal, a primeira associação que será referência para o artesanato local.

Dos 87 moradores da comunidade indígena, 75 são mulheres. Mulheres artesãs, mães, donas de casa e produtoras rurais. “Nós, mulheres indígenas, queremos ser reconhecidas e ter poder de decisão. A associação é o primeiro passo para mostrar que somos capazes de estar à frente dos negócios e não viver apenas para servir os maridos, pais, irmãos”, comentou Edina Shanenawa.

Para a secretária de Política para as Mulheres, Concita Maia, empoderar mulheres e promover a equidade de gênero em todas as atividades sociais são garantias para o efetivo fortalecimento das economias. “Esse processo organizatório das mulheres é muito importante para nós como governo, pois mostra o fortalecimento das mulheres. Essa associação é o resultado concreto desse empoderamento”, concluiu.

Com a criação da Associação Indígena Shanekaya, a aldeia irá promover o Primeiro Encontro Cultural, com apresentação da produção do artesanato, realizada no dia 25 de junho deste ano.

Mais notícias