Economia

Contas públicas do Acre estão entre as mais equilibradas do Brasil

Maria Meirelles
06.12.2017 20:18

De acordo com dados do Tesouro Nacional divulgados nesta quarta-feira, 6, o Acre se mantém em segundo lugar no ranking de equilíbrio fiscal do país, alcançando pelo quarto ano consecutivo a nota “B” na avaliação, que examina a estabilidade das contas públicas.

As notas de capacidade de pagamento de Estados obedecem à nova metodologia do Tesouro Nacional, que combina três indicadores: endividamento, poupança corrente e liquidez.

O rating (notas de crédito) confirma a solidez e a eficiência da gestão do governo de Tião Viana, pois, de acordo com os novos critérios do Tesouro, apenas os estados que recebem nota “A” ou “B” têm acesso a empréstimos da União.

Mesmo com a crise financeira, Acre tem contratado novos servidores e mantido o pagamento em dia (Foto: Thiago Bezerra/SEE)

O período de bons resultados alcançados pelo Estado acreano (2014-17) é fruto de uma gestão que, em meio à crise financeira que o país enfrenta, valorizou o serviço público, com o pagamento de salários e do 13º em dia, reajustes salariais e a contratação de novos servidores.

Além disso, apostou numa diversificação da cadeia produtiva regional, concedendo investimentos para dar alternativas financeiras aos pequenos e grandes produtores, o que fortaleceu a economia nesse período.

Economia verde

Localizado na Região Norte do país, o Acre tem superado uma das maiores crises econômicas, com investimentos direcionados para o setor produtivo e expansão da área industrial, ao mesmo tempo que reduz o desmatamento ilegal, como aponta o Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe) – diminuição de 34% do desmate no estado.

Estado garantiu investimentos para o fortalecimento de uma economia de baixo carbono (Foto: Arquivo Secom)

O resultado do rating do Tesouro Nacional confirma estudos recém-divulgados por outros órgãos. Em novembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) classificou o Acre como o quarto estado com maior crescimento acumulado do Produto Interno Bruto (PIB).

No estudo, o Acre apresenta o aumento de 81,2% de sua economia entre 2002 e 2015. O PIB representa a soma de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada localidade, durante um período específico. E é um dos indicadores mais utilizados na macroeconomia com o objetivo de quantificar a atividade econômica de uma região.

Mais notícias