Infraestrutura

Depasa segue com monitoramento do sistema de captação após elevação do Rio Acre

André Araújo
16.02.2017 11:25

Acúmulo de balseiros pode provocar danos às bombas em balsas flutuantes (Foto Cedida)

Com a elevação do nível do Rio Acre em Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia, Xapuri e Rio Branco, o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) segue com o monitoramento dos equipamentos do sistema de captação de água.

Para atuar em situações emergenciais, devido ao intenso período de chuvas, a autarquia elaborou um plano de contingência para organizar as intervenções nas Estações de Tratamentos de Água (ETAs).

“Em Brasileia e Xapuri, onde captamos água do Rio Acre, estamos em alerta devido à subida repentina do manancial e realizando diversos serviços para evitar que balseiros atinjam as bombas que estão em balsas flutuantes”, relata o diretor de abastecimento do Depasa, David Bussons.

Outro ponto que está em observação é o possível surgimento de danificações nas barragens dos reservatórios.

“O grande volume de chuvas pode provar alguns problemas na barragem da ETA de Epitaciolândia, onde a captação é feita no Igarapé Encrenca. Já em Assis Brasil, o processo também é feito em um igarapé e está dentro da normalidade, contudo, estamos realizando medidas preventivas”, informa Bussons.

Segundo o superintendente do Depasa em Rio Branco, Miguel Félix, técnicos da autarquia monitoram os flutuantes que auxiliam as torres do sistema de captação da capital.

“A cada elevação ou diminuição da lamina d’água do rio, temos que readequar as bombas em balsas flutuantes e suas tubulações que conectam as ETAs, além de impedir que equipamentos afundem com o acúmulo de balseiros”, diz.

Mais notícias