http://www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2018/05/vista_IDAF_Santa_Catarina_27-1200x400.jpeg
Produção

Equipe de governo faz intercâmbio para iniciar ações de retirada da vacina contra a aftosa

Nayanne Santana
15.05.2018 14:46
Atualizado 15.05.2018 às 14:46

Visita técnica visou a troca de experiências entre as instituições (Foto: Cedida)

Servidores do governo do Estado que atuam no Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf/AC) estiveram na última semana em Santana Catarina para uma visita técnica à Companhia Integrada de Defesa Animal daquele estado.

A ação é parte das atividades que o Idaf está realizando para a retirada da vacinação contra a febre aftosa em 2019, prevista pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), elaborado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O intercâmbio visa à identificação dos serviços prestados pela Companhia, bem como conhecer de perto a experiência de Santa Catarina que há mais de 17 anos retirou a vacinação de febre aftosa e que tem o reconhecimento da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), há mais de 10 anos, com livre de febre aftosa sem vacinação.

“Essa visita foi de extrema importância para que pudéssemos fazer uma avaliação das nossas necessidades para o preparo de estrutura organizacional, de quadro de pessoal, fluxograma, para nos preparar o cenário da retirada da vacina”, detalhou Mário César de Araújo, gerente de Defesa Sanitária Animal do Instituto do Acre.

A equipe da visita técnica era composta por gestores que estão no Programa Estadual de Febre Aftosa, para que estejam aptos a agir na identificação precoce por meio de um programa de vigilância sensível caso surjam focos de doenças animais.

“Outro ponto importante é a fiscalização de trânsito de animais, que deverá estar estruturada e sincronizada com as equipes localizadas nas barreiras sanitárias para o controle e fiscalização desse trânsito de áreas que ainda não estão na condição de livre de vacinação da febre aftosa para ingresso no estado”, afirma o gerente.

De acordo com Araújo, para que o processo tenha bons resultados, é fundamental que todas as áreas do Idaf atuem unilateralmente, a exemplo das áreas de Educação Sanitária e Comunicação Social, tendo em vista que o Brasil pretende ampliar o mercado no comércio externo.

O coordenador do programa de sanidade suína do Idaf/AC, Danilo Mazzo, também fez parte da equipe que esteve em Santa Catarina para conhecer granjas modelos de criação de suínos daquela região. “Os principais exportadores de suínos estão naquele estado.”

Granjas de suínos também foram visitadas (Foto: Cedida)

Mais notícias