http://www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2018/05/image_6483441-2-2-1-1200x400.jpg
Educação

Governo celebra mais de 75 mil jovens formados no ensino técnico desde 2011

Samuel Bryan
15.05.2018 18:03
Atualizado 22.05.2018 às 16:57

Quando se fala de educação profissionalizante, a lembrança é de cursos que, além de formar profissionais com conhecimento técnico, devem estar preocupados também com a formação do cidadão. Com isso, a educação técnica se tornou uma das prioridades do governador Tião Viana. Durante toda sua gestão, por meio do Instituto Dom Moacyr (IDM), que reúne unidades para realização desses cursos, o governo priorizou a formação principalmente do público jovem de todo o Acre.

Com alunos e educadores do ensino profissionalizante do Acre, Tião Viana comemora a marca de 74 mil jovens atendidos em seu governo (Foto: Arquivo Secom)

Quando Tião Viana chegou ao governo do Estado em 2011, o IDM já havia formado pouco mais de 25 mil alunos. A partir de então, o ensino técnico passou a ser uma das prioridades da gestão e alcançou a marca de quase 100 mil jovens formados em cursos profissionalizantes, principalmente graças às parcerias com a ex-presidente Dilma Rousseff, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

“Essa união entre jovens cheios de sonhos e professores do IDM nos permite celebrar essa conquista de 100 mil pessoas formadas. Nós inovamos aqui sobre uma decisão nacional. Cada um tem seus sonhos, mas todos têm o sonho de trabalhar. E o ensino técnico pode proporcionar isso. Esse é um programa de oportunidades e orgulho. Nossa missão é mediar essa visão de importância e significado do ensino técnico”, conta Tião Viana.

O próprio Pronatec foi criado para funcionar apenas por meio de Institutos Federais ou do Sistema S, mas foi o próprio governador quem se esforçou para que ele funcionasse também por meio da educação profissional em nível estadual.

Uma nova casa

Centro de Educação Profissional e Tecnológica em Serviços Campos Pereira recebeu investimento de R$ 11 milhões e fica localizado na Cidade do Povo (Foto: Pedro Devani/Secom)

Como coroação de todo o projeto de educação profissionalizante desta gestão, o Centro de Educação Profissional e Tecnológica em Serviços Campos Pereira recebeu uma nova casa, se tornando a maior escola profissionalizante do Acre, num investimento de R$ 11 milhões localizado na Cidade do Povo.

Com um espaço de mais de 6.500 metros quadrados, a robusta estrutura criada pelo governo do Estado apresenta 25 salas de aula, 12 laboratórios de pesquisa, telecentro, biblioteca, refeitório, auditório para 200 lugares e 150 vagas para estacionamento.

Ligada ao Instituto Dom Moacyr (IDM), o Centro Campos Pereira trabalhará numa parceria entre sete instituições junto ao governo do Estado, entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), a Prefeitura de Rio Branco, a Defensoria Pública e o Tribunal de Justiça.

“Hoje, essa é a maior obra da Cidade do Povo, seu cartão postal. Estamos agora com sete turmas de cursos técnicos aqui e mais oito cursos de curta duração, então é a expansão da educação profissional dentro da Cidade do Povo, atendendo essa comunidade e adjacências”, destacou a presidente do IDM, Rita Paro.

Pelo futuro

“Pra mim esse curso significa uma oportunidade muito grande para o meu futuro, porque eu quero ter uma carreira”, conta Beatriz Almeida, de 16 anos

Hoje, com programas como o MedioTec, que une a conclusão do aluno no Ensino Médio com uma formação profissional junto ao IDM, o governo formou ainda sete mil alunos em cursos profissionalizantes nesta modalidade, com uma garantia de ensinar uma profissão assim que terminarem os estudos em cursos das áreas de serviços administrativos, saúde, turismo, construção civil, gastronomia, designe e muitos outros com atuação do IDM nos 22 municípios, incluindo zona rural.

Entre as jovens beneficiadas pelo MedioTec se encontra Beatriz Almeida, de 16 anos, que começou o curso de técnica em lazer. “Pra mim esse curso significa uma oportunidade muito grande para o meu futuro, porque eu quero ter uma carreira e ser veterinária, mas se eu não conseguir me formar nisso, eu já tenho algo específico e que eu possa correr atrás, ainda mais que tem poucos profissionais nessa área de lazer”, conta.

Já James Nunes fez o curso técnico de análises clínicas e se apaixonou tanto pela área que começou o curso universitário de biomedicina para dar prosseguimento aos estudos. Ele aproveitou para dar uma palavra de apoio aos que estão começando: “Eu agradeço muito a sorte que eu tive ao conseguir fazer esse curso. E todos vocês têm que fazer aquilo que gostam. Dividir o tempo entre a escola e o curso não é fácil, mas somos jovens e precisamos agarrar a oportunidade”.

Mais notícias