Governo promove qualidade de vida com obras de saneamento no interior

Governo promove qualidade de vida com obras de saneamento no interior

Texto de Juliana Carla || Fotos de SECOM/AC || Diagramação de Adaildo Neto

Rio Branco, 01 de maio de 2018

Em todo o mundo, cerca de três em cada dez pessoas — em um total de 2,1 bilhões — não têm acesso a água potável em casa, e seis em cada dez — ou 4,5 bilhões — carecem de saneamento seguro.

O levantamento, divulgado em 2017 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), demonstra a necessidade de políticas públicas urgentes que mudem essa realidade.

No Acre, o governo do Estado, por meio do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa), realiza um grande esforço para levar dignidade e qualidade de vida à população mais carente, promovendo cidadania. As ações de saneamento são realizadas em todo o Estado, com uma grande ênfase nas comunidades indígenas a partir do programa Água para Todos.

Criado ainda na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, o programa visa proporcionar segurança alimentar e qualidade de vida, reduzindo, assim, os índices de mortalidade.

O desafio da água

Por meio do Água para Todos, são construídos sistemas de distribuição de água, desde a construção de poços, edificação de caixa d’água e distribuição para as famílias oriundas de localidades indígenas. Davi Bussons, diretor de operações do Depasa, destaca como funciona esse sistema:

“Cada sistema implantado possui um poço tubular de 16 metros, uma caixa de água de 2.000 litros e cinco caixas individuais de 500 litros, com toda parte hidráulica e de bombeamento”, explica Bussons.

Segundo o assessor especial responsável pelo acompanhamento dos programas de saneamento no estado, Edvaldo Magalhães, a mudança na rotina representa vida nova para os indígenas.

“Esse é um programa que muda completamente a vida da comunidade nas aldeias, sem falar na qualidade de saúde que dá um salto extraordinário, nos tínhamos muitos problemas de doenças que surgem em decorrência da má qualidade da água. Quando você termina um sistema desse e reúne a comunidade, o sistema começa a funcionar, a gente sente a alegria… é uma verdadeira celebração que eles fazem é algo extraordinário. Vida nova na comunidade”, disse Magalhães.

Mâncio Lima, Tarauacá, Feijó e Cruzeiro do Sul já foram contemplados com a distribuição do sistema, num investimento total de R$ 360 mil.

Uma questão de saúde

O médico e deputado estadual Jenilson Leite ressalta a visão humanista do governo do Estado em investir não apenas em construção de hospitais e centros de saúde, mas trabalhar as ações que somam na promoção de saúde desde sua base.

“É claro que investimentos em hospitais são indispensáveis, no entanto, o tratamento da água e também o depósito correto dos resíduos acarreta grande impacto no quesito prevenção e melhoramento nos indicadores de saúde. Grande parte das doenças identificadas nessas comunidades era de doenças agudas relacionadas à utilização da água sem o devido tratamento”, pontuou.

O Acre é referência nacional em políticas públicas desenvolvidas junto aos indígenas, mesmo diante de um cenário de crise econômica no país, o estado proporciona a melhoria da qualidade de vida dos acreanos. O senador Jorge Viana avalia de forma positiva as ações que promovem o desenvolvimento dessas ações.

“O mais importe é, que na hora que o Brasil só tem notícia ruim, com o governo federal empurrando o país para trás, vemos o governo do Acre com o governador Tião Viana fazendo ações que mudam para melhor a qualidade de vida das pessoas”, salientou o senador.

Qualidade de vida nas aldeias

Em Mâncio Lima, o programa Água para Todos beneficiou a comunidade Indígena Puyanawa alcançando 65 famílias, incluindo as aldeias Ipiranga e Barão.

“É uma felicidade poder receber água tratada. Isso transmite uma felicidade para o povo, mostrando o compromisso político do governo com a comunidade. A água vai dar prosperidade à vida e à saúde do meu povo”, afirma o cacique Joel Ferreira Puyanawa.

Depois de entregue, o sistema passa a ser de responsabilidade do Distrito de Saneamento Indígena (DSI), por meio dos Agentes Indígenas de Saneamento (Aisan) que estes recebem capacitação do Depasa.

O líder indígena Manoel Kaxinawa, da Comunidade 27, de Tarauacá, agradece ao governador Tião Viana pelo investimento que beneficia as comunidades indígenas.

“Ao investir na saúde, o governador está investindo numa melhor qualidade de vida da população indígena, que ainda passa por muitas dificuldades”, disse.

Na Comunidade Indígena Shanenawa, em Feijó, as Aldeias Morada Nova (Alto Envira) e Aldeia Shanekaya, localizada na BR 364 entre os municípios de Feijó e Tarauacá, Aldeia Nova Vida no Baixo Envira e Aldeia Paredão também no Baixo Envira, 65 famílias serão contempladas com o projeto nos próximos dias. Foram investidos R$ 194.253,80 no programa que está 100% concluído, o qual será entregue nos próximos dias.

Ainda neste ano, aproximadamente 10 novas famílias serão contempladas na Comunidade Indígena dos Katukinas, no Juruá. A Execução das obras se dá com apoio do Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre (Proser), com recursos do Banco Mundial e governo do Estado. Desde 2014 conduzido pelo Depasa e pela Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan).

Outros projetos estão previstos para o decorrer deste ano. O governo do estado visa alcançar as demais comunidades com o programa de saneamento básico. Nos próximos meses será iniciado o programa de saneamento no município de Jordão com investimento no valor de R$ 1,55 milhão.

“Estamos apenas finalizando o processo de convênio com a prefeitura de Jordão, que será a executora da obra, nós do Depasa entramos com acompanhamento técnico, engenharia e com as equipes sociais que prestam toda a assistência necessária para a realização dessas obras. Será uma grande parceria do estado com a prefeitura do município para que as comunidades sejam beneficiadas”, salientou Magalhães.