Hospital das Clínicas realizou mais de sete milhões de atendimentos em quatro anos

Hospital das Clínicas realizou mais de sete milhões de atendimentos em quatro anos

Texto de Fhaidy Acosta || Fotos Secom || Diagramação de Andrey Santana

Rio Branco, 10 de Dezembro de 2018

Nos últimos quatro, anos o número de atendimentos, procedimentos e estruturação das unidades passou por mudanças significativas.

Principal centro de referência em atendimento especializado do estado, o Hospital das Clínicas não foi diferente. Basta verificar os números referentes à unidade no período de 2015 até outubro deste ano. São impressionantes mais de sete milhões de atendimentos.

O complexo do Hospital das Clínicas do Acre é o mais equipado e estruturado, com as mais diversas áreas de atendimento especializado como ortopedia, odontologia, oftalmologia, terapia, transplantes, laboratórios e cirurgias diversas.

“Nossa satisfação é que conseguimos, nos últimos anos, além de prosseguir com a manutenção, ampliar os serviços ofertados à população, principalmente os de neurocirurgias e hepáticos, este último reconhecido em nível nacional”, enfatiza a superintendente do HC, Juliana Quinteiro.

Mais de sete milhões de atendimentos no HC nos últimos quatro anos (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

Os números são resultado de um conjunto de fatores como investimento governamental, apoio de entidades e dedicação dos mais de 1,7 mil profissionais de nível médio e superior que atuam no complexo do HC.

“É importante destacar que sempre trabalhamos em prol da transparência, do agendamento e do fortalecimento da regulação de consultas e cirurgias”, explica Juliana.

De 2015 a outubro de 2018, o hospital realizou mais de 7,3 milhões de procedimentos, entre atendimentos, serviços laboratoriais, cirurgias, consultas, terapias e internações.

TRANSPLANTES

Um dos serviços de grande importância para a população acreana, e que tornou o HC uma referência nacional, é coordenado pela Central de Transplantes. Nos últimos quatros anos, já foram realizados 146 transplantes, sendo 78 de córneas, 37 de fígado e 31 de rim. A referência é que o Acre, neste período, foi o único estado da Região Norte a realizar procedimentos de fígado, e no ano passado foi, proporcionalmente, o quinto estado do país que mais fez transplantes do órgão.

E esses números só não são maiores devido à recusa familiar pela doação, que ainda é muito grande, considerada a maior do Brasil, chegando a mais de 70%.

Francisco Marinheiro é um dos pacientes que passou por um transplante de fígado no HC (Foto: Júnior Aguiar/Arquivo Sesacre)

Sair da fila de espera significa um novo recomeço na vida das pessoas que necessitam de transplante, e em que na maioria dos casos já não conseguem ter qualidade de vida devido às limitações.  Esse foi o caso de Francisca Santos, 33 anos, que após uma gravidez teve complicações que ocasionaram a necessidade de um transplante do fígado.

“Depois que tive meu filho, fiquei na UTI, e meu estado de saúde se agravou, eu estava em risco de morte, passei 1 ano e um mês na fila de transplante e, graças a doação da Maria fui salva, hoje já são 2 anos e 4 meses que tive a oportunidade de uma segunda vida, uma nova chance. A pessoa que doa demostra um gesto de amor muito grande ao próximo”, relata Francisca Santos.

SERVIÇOS

O Centro Cirúrgico do Hospital das Clínicas que atende 24 tipos de especialidades realizou entre procedimentos regulares e mutirões quase 20 mil cirurgias de 2015 até outubro de 2018. Um serviço de grande abrangência é feito pelo Centro Especializado em Odontologia (CEO), que no mesmo período realizou 95 mil atendimentos.

Dentre os serviços ofertados pelo hospital está o, Serviço de Atendimento Especializado (SAE) que proporcionou 238,3 mil atendimentos. Há também o Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutica (SADT) realiza 25 procedimentos diferentes, atendeu 201,6 mil pacientes.

Já Serviço de Atendimento Médico e Estatístico (SAME), que possui 88 especialidades e subespecialidades, atendeu 681,9 mil pacientes.

Este setor é vital para a saúde, já que é onde estão armazenados os históricos de cada pessoa que já foi atendida no Hospital das Clínicas.

A hemodiálise é necessária para os pacientes que precisam do tratamento para a remoção do líquido e substâncias tóxicas do sangue, como se fosse um rim artificial. Foram 138,4 mil atendimentos, além de 27, 7 mil pacientes atendidos pelo serviço de internações.

OFICINA ORTOPÉDICA

Funcionando há 40 anos em Rio Branco, a Oficina Ortopédica realiza quase 2 mil atendimentos por mês.

Para quem necessita de auxílio na locomoção a oficina confecciona órteses e próteses, e de 2016 a outubro de 2018 foram fabricadas quase 12 mil peças. O destaque fica para os dez primeiros meses deste ano, onde foram confeccionadas mais de 8,7 mil próteses e órteses.

Terapia

Além de cirurgia, muitos pacientes necessitam de acompanhamento e tratamento continuado como a fisioterapia. É também no HC, que parte desse atendimento acontece. Desde 2015, já são quase 152 mil atendimentos com sessões de fisioterapia à pacientes internados na unidade.

Fisioterapia é ofertada aos pacientes em reabilitação e/ou com limitações locomotora (Foto: Arquivo Secom)

Esse atendimento foge às quatro paredes do HC. É ofertado também por meio do Dom Bosco que já realizou 150 mil procedimentos de reabilitação e na antiga Funbesa, onde o número ultrapassa 157,2 mil 212 atendimentos.

CONVÊNIOS

E para ampliar os atendimentos à população, o Hospital das Clinicas também atua por meio de convênios com outras unidades como é o caso do Hospital Oftalmológicos do Acre (HOA), que já realizou 6,4 mil exames, 2,7 mil procedimentos cirúrgicos e 2,4 mil yag laser, que consiste em uma técnica cirúrgicas que trata a opacificação ocular com segurança e sem dor.

Outra importante parceria é na área de saúde auditiva, em que a Otoclin. Por meio de convênio já realizou até outubro deste ano, 38,1 mil consultas, 16,6 mil exames e distribuiu mais de 9,9 mil próteses auditivas.

Francisca Lima sorri e se emociona ao lembrar da perda da audição (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

É o caso de Francisca Lima. Sua família possui uma doença que provoca a perda gradativa da audição com o passar dos anos. “Minha mãe e minhas irmãs ficaram surdas com a chegada da velhice. Fui professora durante 23 anos e fui obrigada a sair de sala quando comecei a perder a audição. Sofri muito preconceito por não ouvir direito.”

Após os exames, Francisca recebeu um aparelho auditivo. “O mundo se abriu de novo para mim. Quando coloquei o aparelho, três meses atrás, foi um impacto. Lembro a emoção de ouvir os pingos de água caindo da torneira. Hoje, voltei a ter prazer em coisas simples como ir a um churrasco com os amigos e conseguir ouvi-los e interagir.”

LABORATÓRIO

Para realizar exames laboratoriais, o HC possui os laboratórios de análises clínicas, de microbiologia e patologia, que juntos realizaram nos últimos quatro anos, mais de 2,1 milhões de exames laboratoriais.

Programa de Obesidade

Uma das iniciativas que contribui diretamente para a qualidade de vida da população é o Programa de Obesidade, que funciona dentro do Hospital das Clínicas e foi criado em 2004. Atualmente conta com uma equipe multidisciplinar formada por cirurgião, endocrinologista, psiquiatra, psicólogo, nutricionista e fonoaudiólogo. O programa alcançou 31,4 mil pessoas em palestras educativas, realizando mais de 16,6 mil consultas e 140 cirurgias bariátricas e plásticas reparadoras.

Bariátrica ajudou Ângela a perder mais de 70 quilos (Foto: Cedida)