Mulheres representam maioria de empreendedores de pequenos negócios

18.03.2017 10:00 Por Rayele Oliveira
Tags:Dia da Mulher, economia acreana, empreendedorismo

Investimentos na área de salões de beleza já beneficiaram milhares de famílias no estado (Foto: Arquivo Secom)

Em cinco anos, a política de gerar postos de trabalho fomentada pela Secretaria de Pequenos Negócios (SEPN) deu a oportunidade de que milhares de famílias assistidas por programas sociais precisavam para conquistar a autonomia financeira no Acre.

Desse quadro, a maioria está representada por mulheres que ousaram empreender e se tornaram donas do próprio negócio. O programa de apoio ao empreendedorismo injetou na microeconomia acreana em torno de R$ 33 milhões, com o alcance de 23 mil famílias do estado, inclusive nos municípios mais distantes.

A partir de cursos profissionalizantes e parcerias com instituições públicas e privadas, surgiram novas costureiras, cabeleireiras, manicures, artesãs e tantas outras profissionais.

A SEPN – criada em 2011 para atender demandas coletivas da comunidade e individuais – se ateve em distinguir suas metas como economia popular e economia solidária, isto é, beneficiar famílias individualmente e em grupos, cooperativas e associações, respectivamente.

Assim, o protagonismo feminino também ganhou destaque com o incentivo das feiras regionais pertinentes aos grupos de economia solidária coordenados pela secretaria.

De acordo com a instituição, 68% dos negócios individuais estão representados por mulheres, ao passo que no setor de empreendimentos coletivos essa comparação chega a 90%.

Mulheres provam que união dá certo

Aldenira frisa que oportunidade foi muito importante para a cooperativa (Foto: Angela Peres/Secom)

Já dizia o poeta Miguel de Cervantes: “Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando se sonha junto é o começo da realidade”. E tem sido assim com a cooperativa de cabeleireiras Cooperstylus há 12 anos. Tudo começou depois de cursos profissionalizantes ofertados pelo Senac em 2004 e de palestras recebidas em centros de assistência social.

Mas foi em 2011 que surgiu o primeiro salão da cooperativa na Baixada do Sol, em Rio Branco, com investimentos da SEPN para a aquisição de equipamentos. Hoje a Cooperstylus conta com uma rede de cinco salões de beleza e estética e é parceira de projetos sociais para a prestação de serviços gratuitos uma vez por semana.

De acordo com a coordenadora dos salões Aldenira Araújo, o sonho de dar oportunidade às mulheres que precisavam ter renda tornou-se realidade e atualmente envolve mais de 40 famílias. “O incentivo aos pequenos é muito importante porque muda a vida das pessoas que precisam de oportunidade”, declara Aldenira.

O governo do Estado segue com a missão de beneficiar 30 mil famílias até 2018, por meio da Secretaria de Pequenos Negócios. O alvo dos investimentos é que novos coletivos de empreendedores possam surgir como oportunidade de transformação social para as famílias do Acre.