No Dia Internacional dos Museus, Acre celebra reforma de 21 espaços culturais

No Dia Internacional dos Museus, Acre celebra reforma de 21 espaços culturais

Valorização de equipamentos de cultura, patrimônio, memória, identidade e leitura. No Dia Internacional dos Museus, celebrado neste 18 de maio, o Acre comemora a reforma e revitalização de 21 espaços de cultura nos municípios de Rio Branco, Xapuri, Cruzeiro do Sul, Brasileia, Epitaciolândia, Sena Madureira e Tarauacá.

O projeto é fruto de esforços do governo do Estado, por meio da Fundação Elias Mansour (FEM), que buscou parcerias e investimentos externos para que, de forma eficaz, consiga proporcionar melhorias na estrutura física destes espaços, oferecendo ambiente adequado ao desenvolvimento de atividades artísticas e culturais.

Seguindo esse propósito, serão investidos quase R$ 2,9 milhões na reforma e aquisição de mobiliários e equipamentos para o Museu da Borracha e Palácio Rio Branco, além da revitalização da exposição artística do local. Já a Escola de Música do Acre receberá um novo muro. O recurso para estes fins é proveniente de operações de crédito junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Já para os outros 18 espaços, o investimento chega a mais de R$ 12,5 milhões, destinados à construção da Sede do Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural, e, ainda, para aquisição de mobiliários, equipamentos e reforma dos espaços. A soma foi angariada por meio de ações do Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre (Proser), junto ao Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (Bird).

“O Proser é uma operação de crédito que resulta de um aprimoramento da operação do Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado do Acre (ProAcre), e dos bons índices alcançados pelo Estado na gestão de recursos. É uma operação dinâmica, inovadora e que o banco monitora com muita propriedade e cuidado”, destaca a diretora-presidente da FEM, Karla Martins.

Histórico dos espaços culturais

Museu da Borracha

museu-da-borracha (1)

Criado por meio do Decreto Estadual nº. 30, de 3 de abril de 1978, por ocasião do centenário da Imigração Nordestina no Estado, o museu mantém sob guarda um acervo diversificado, formado, em sua maior parte, por doações particulares e compras efetuadas durante os primeiros anos após a fundação.

Ao todo, o espaço reúne mais de 5,3 mil peças, distribuídas por diversos núcleos, como paleontologia, arqueologia, etnografia e história socioeconômica do Acre, além de obras de arte, manuscritos, fotografias, periódicos e outros pequenos conjuntos.

Palácio Rio Branco

foto-palacio

Construído em 1930, em estilo neoclássico, o Palácio Rio Branco é considerado a sede do governo do Acre. O local, revitalizado em 2002 pelo então governador Jorge Viana, incorporou a função cultural com exposições que apresentam as diversas fases da história do povo acreano. Textos, objetos históricos, fotografias e depoimentos podem ser encontrados nas diversas salas do espaço. Tombado em 2005, só levou o nome Museu Palácio Rio Branco em 2008.

Memorial dos Autonomistas

GUR_2859 (1)

O Memorial dos Autonomistas é formado por um museu, que tem como propósito registrar na memória acreana o importante Movimento Autonomista.
Este espaço foi criado para fortalecer e incentivar a produção artística acreana de forma múltipla, recebendo atividades nas áreas de teatro, dança, música, audiovisual, literatura, exposições artísticas, atividades educativas e de interesse público.
A reforma proposta pretende resolver problemas estruturais e proporcionar melhores condições aos usuários e servidores do local.

Theatro Hélio Melo

O Theatro Hélio Melo é localizado em anexo ao Memorial dos Autonomistas. O espaço tem capacidade para receber 150 pessoas, e homenageia um dos mais importantes artistas da região amazônica.
Assim como o Memorial, o Theatro fortalece e incentiva a produção artística acreana, recebendo em seu palco atividades nas áreas de dança, música e audiovisual, entre outros.

Biblioteca da Floresta

Biblioteca da Floresta realiza ações em defesa da independência e soberania da Palestina (Foto: Acervo Secom)

A Biblioteca da Floresta é especializada em assuntos e autores da Amazônia e do Acre, e tem o propósito de contribuir para o desenvolvimento sustentável do estado, reunindo e colocando à disposição dos pesquisadores e da sociedade as informações e as experiências do governo e dos movimentos socioambientais.

O prédio da biblioteca abriga exposições permanentes sobre os povos indígenas do Acre, além de coleção especial sobre as iniciativas lideradas por Chico Mendes. O espaço contempla, ainda, espaço destinado para exposições temporárias.

Biblioteca Pública de Rio Branco

biblioteca publica2

Fundada em março de 1979 e reestruturada e entregue à população em 2008, a Biblioteca Pública tem como propósito facilitar o acesso a um espaço público adequado para pesquisa e leitura, que permite ao cidadão a oportunidade de melhor formação intelectual e cultural, contando com um acervo de mais de 80 mil exemplares entre livros, CDs, DVDs, histórias em quadrinhos e áudio-livros.

Sede da Fundação Elias Mansour e Galeria Juvenal Antunes

Captura de Tela 2017-05-18 às 09.30.44

A Biblioteca da Floresta é especializada em assuntos e autores da Amazônia e do Acre, e tem o propósito de contribuir para o desenvolvimento sustentável do estado, reunindo e colocando à disposição dos pesquisadores e da sociedade as informações e as experiências do governo e dos movimentos socioambientais.

O prédio da biblioteca abriga exposições permanentes sobre os povos indígenas do Acre, além de coleção especial sobre as iniciativas lideradas por Chico Mendes. O espaço contempla, ainda, espaço destinado para exposições temporárias.

Usina de Arte João Donato

Usina-de-Arte-João-Donato-Val-Fernandes-Secom (1)

Inaugurada em 2006, a Usina de Arte nasceu como um espaço híbrido, que reúne cultura e formação profissional em diferentes linguagens artísticas, tendo como finalidade oferecer à comunidade qualificação profissional e formação técnica em artes, com instalações de suporte ao sistema educacional, bem como estimular a concepção, criação, consumo e difusão de bens artístico-culturais no Acre.

O projeto propõe a reforma do parque elétrico do teatro, além da construção de espaço que servirá como depósito de matérias, e sala destinada aos colaboradores dos serviços gerais.

Cine Teatro Recreio

Captura de Tela 2017-05-18 às 09.30.32

O Cine Teatro Recreio é um complexo cultural constituído por uma sala de cinema com capacidade para 130 pessoas, e um teatro com 200 assentos. O local está instalado no endereço do extinto Cine Éden, importante espaço cultural da década de 80, sendo que suas últimas intervenções respeitaram a arquitetura do período de outro da borracha.

O piso do Cine passará por revitalização, pois foi atingido pela enchente de 2012, danificando suas estruturas em diversos pontos. Além disso, haverá revisão em toda sua estrutura física.

Teatro Plácido de Castro

fotos_noticias_maio_08_teatrao_200508_900

Construído em estilo moderno no ano de 1990, o Teatro Plácido de Castro tem capacidade para 493 lugares e 120 vagas para estacionamento. Seu interior tem toda uma decoração no estilo de artefato de entalhamento, que registra elementos da cultura acreana com a arte de marchetaria, representado em dois grandes painéis do artista Maqueson Pereira da Silva. Frequentemente, são realizados shows com artistas locais e de outros estados no local.

Sociedade Recreativa Tentamen

SOCIEDADE RECREATIVA TENTAMEN

Fundada em 10 de abril de 1924, a Sociedade Recreativa Tentamen, localizada no bairro Seis de Agosto, foi palco de grandes eventos sociais de Rio Branco, tais como formaturas, jantares importantes, aniversários, festas juninas e, principalmente, os famosos bailes carnavalescos que movimentavam toda a cidade, em meados dos anos 50 e 60.

Seringueiros, comerciantes e seringalistas da época eram o público que mais comparecia nas festas realizadas no local, assim como os jovens das famílias tradicionais da cidade.

Com intensa mobilização social, o espaço passou por sua primeira recuperação em 1984, e após o fim da reforma, a administração foi entregue para a então Fundação de Desenvolvimento de Recursos Humanos da Cultura e do Desporto, que em 1999, passou a ser Fundação Elias Mansour.

A realização das obras de reforma, conservação e restauração da Tentamen possibilitará o resgate das características originais da edificação, protegida pelo governo do estado do Acre pelo seu valor cultural e arquitetura representativa do período extrativista.

Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural

Criado em 1999, o Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHC) é responsável pela identificação, preservação e promoção de estudos e pesquisas relacionadas à história e memória do Acre. É também de sua competência a conservação, o monitoramento e a garantia de manter o acesso de estudantes, professores, pesquisadores, escritores e outros, aos bens e conteúdos de valor patrimonial.

A nova sede será construída em um terreno de propriedade do governo do Estado, localizado no Distrito Industrial, próximo a Usina de Arte João Donato.

Biblioteca Anselmo Marinho Lessa – Tarauacá

A Biblioteca Pública Alselmo Marinho Lessa, localizada em Tarauacá, foi criada em dezembro de 1999 com o objetivo de garantir acesso de toda a população da cidade aos seus bens culturais e literários.

A  partir da reforma, serão desenvolvidas ações no local, tais como rodas de leitura, concursos literários, clube da leitura, lançamento de livros, exposições, encontros com autores locais, palestras e seminários, entre outros.

Biblioteca Pública Estadual Elomar de Souza Braga – Epitaciolândia

A Biblioteca Pública Elomar de Souza Braga, localizada em Epitaciolândia, foi criada em outubro de 1999, e beneficia mais de mil pessoas por mês.

O projeto de reforma proporcionará a melhoria do atendimento aos usuários do espaço, que ganharão um local com qualidade mais adequada ao estudo e leitura.

Complexo Cultural Museu e Memorial José Augusto e Teatro José de Alencar – Cruzeiro do Sul

Fundado em setembro de 2006, este complexo cultural é formado pelo Teatro José de Alencar, com capacidade para 84 pessoas, e palco disponível para diversas atividades artísticas. Já o Museu e Memorial José Augusto abriga um vasto acervo indígena, peças sacras, peças paleontológicas, utensílios e ferramentas usados pelos seringueiros, peças folclóricas e vários itens doados pela comunidade e um memorial ao ex-governador José Augusto de Araújo, o primeiro governador eleito por voto popular no Acre.

A reforma passará por pintura, reparos no piso e cobertura.

Escola de Música do Acre

A Escola de Música do Acre foi criada em julho de 2012, e tem como finalidade trabalhar a formação, extensão, difusão e valorização da música nas comunidades acreanas, incentivando e qualificando crianças, adolescentes, jovens e adultos.

O local passará por revitalização estrutural no palco do auditório, além da troca dos acabamentos acústicos das salas. Um muro também será construído no entorno da escola.

Espaço de Memória Wilson Pinheiro – Brasileia

O Espaço de Memória Wilson Pinheiro nasceu com intuito de resgatar, preservar e valorizar a luta e história em memória do líder sindicalista Wilson Pinheiro.

A intervenção deve melhorar a estrutura física do espaço, além da elaboração de uma exposição permanente sobre a vida do sindicalista, bem como confecção de material promocional do espaço.

Teatro Barracão

Palco do ativismo cultural dos anos 80, o Teatro Barracão é uma referência ao movimento teatral, quando se trata de conquista de espaço público. O local foi cedido pelo governo aos grupos de teatro, e hoje, funciona como casa de espetáculo e espaço de cursos, oficinas e demais atividades artísticas voltadas à comunidade.

A reforma deverá revitalizar a estrutura física do prédio, proporcionando melhores condições aos seus usuários e servidores.

Casa dos Povos Indígenas

Antes conhecida por Espaço Kaxinawá, a Casa dos Povos Indígenas foi renomeada em 2010 e, atualmente, faz parte do patrimônio do governo do Estado e é usado para finalidades artístico-culturais ou administrativas.

A reforma contemplará a troca da cobertura de madeira e palha, que foram danificadas devido a queda de duas grandes árvores. Além disso, será reparada a base do espaço e rachaduras nas paredes.

Museu de Xapuri

O Museu de Xapuri foi inaugurado em 2005, e retrata a história da cidade e de sua população. Atualmente, expõe a história do povo de Xapuri, desde seu povoamento, passando pelo período áureo da borracha, até a luta dos mais ilustres cidadãos, entre eles, Chico Mendes, líder seringueiro do movimento de resistência. O espaço dispõe de armas do período da Revolução Acreana, mobiliário e objetos representativos da exploração sobre os trabalhadores da floresta.

Museu de Sena Madureira

O Museu de Sena Madureira foi inaugurado em setembro de 2004, em comemoração ao centenário da cidade, e tem como objetivo salvaguardar e difundir a história, a memória e os costumes tradicionais dos municípios, estendo à sociedade estes conhecimentos históricos, sociais e culturais da região.

O acervo do museu é constituído por peças antigas, doadas por filhos e netos dos moradores pioneiros dos municípios, além de conter artefatos arqueológicos, como urnas, mortuárias, machados de pedras e vasos cerâmicos produzidos pelos povos antigos, encontrados por pesquisadores e estudiosos.

O espaço de memória ainda dispõe de uma coleção de objetos e utensílios religiosos doados pela igreja católica Nossa Senhora da Conceição. Compõem, também, painéis que retratam a história de Dom Giocondo, Maria Grotti e Madre Paulina.

Texto: Márcia Moreira || Fotos: Secom || Diagramação : Adaildo Neto