Acre: decreto de situação de emergência é aceito pelo governo federal

Por Eduardo Gomes em 27/02/2014 - 1:01 PM
As águas Rio Madeira atingiram níveis recordes (Foto: Sérgio Vale/Secom)

As águas do Rio Madeira atingiram níveis recordes (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O governo do Estado publicou na edição do Diário Oficial do Acre desta quinta-feira, 27, o decreto n° 7.093, que trata da situação de emergência decretada pelo governador Tião Viana. A Defesa Civil Nacional, órgão pertencente ao Ministério da Integração, já sinalizou positivamente à aceitação do decreto, que permite ao governo do Acre a tomada de decisões em caráter extraordinário.

A medida foi tomada por Tião Viana ainda na tarde de ontem e visa evitar prejuízos maiores à população do Acre, em virtude da repentina elevação do nível das águas do Rio Acre e em decorrência da maior enchente já registrada do Rio Madeira, o que provocou a interdição parcial da BR-364.

Márcia Regina, chefe da Casa Civil, disse que a medida se fez necessária para garantir que a população do estado não sofra ainda mais com os transtornos e assegurar o auxílio do governo federal. “O governador Tião Viana tem mantido o diálogo com a Defesa Civil Nacional, e isso nos traz segurança. O governo não está parado, estamos monitorando a situação”, disse.

Resgate de acreanos em Rondônia

O governo do Estado garantiu apoio aos acreanos que, por conta da cheia do Rio Madeira, não puderam seguir viagem de volta ao Acre. Alguns deles retornaram a Rio Branco na terça-feira, 25, quando o vice-governador César Messias esteve, pessoalmente, na rodoviária de Porto Velho para verificar a situação.

Representantes do governo do Acre mantêm diálogo permanente com autoridades rondonienses e empresas de transporte. Estima-se que cerca de 40 pessoas estejam aguardando que o nível das águas volte ao normal para retornar à capital acreana.

Uma das alternativas estudadas pelo governo e empresários para trazer de volta os acreanos seria pôr em circulação um veículo mais alto que pudesse circular pelos trechos alagados da BR-364.