Pequenos Negócios movimentaram mais de R$ 12 milhões nos últimos três anos

Pequenos Negócios movimentaram mais de R$ 12 milhões nos últimos três anos

Texto de Juliana Carla | Fotos Arquivo Secom/Acre | Diagramação de Adaildo Neto

Rio Branco, 1 de março de 2018

Proporcionar renda e oportunizar a concretização de sonhos fazem parte dos compromissos da gestão do governador Tião Viana. Prova disso, é a consolidação do Programa de Apoio à Criação e Fomento em Economia Popular e Solidária, desenvolvido desde 2011. O projeto permite a ampliação de ocupações produtivas e a geração de trabalho e renda dignos para população e já mudou a vida de milhares de famílias em todo o Estado.

Nos últimos três anos, o setor movimentou mais de R$ 12 milhões. Desses, R$ 400 mil foram contabilizados na participação dos artesãos acreanos em cinco feiras nacionais, além da Feira Mundial de Artesanato Indígena, realizada em Palmas, Tocantins, em 2015.

Atualmente, em todo o estado 1.346 artesãos estão cadastrados. A meta é consolidar 2.600 até o final deste ano. Com apoio do banco alemão KFW (Kreditanstalt für Wiederaufbau), serão investidos mais R$ 1,5 milhão no setor nos próximos meses.

Para 2018 outros projetos serão consolidados, como uma parceria com a Peixes da Amazônia que permitirá a inserção do couro, como uma alternativa de inovação da matéria-prima regional, na confecção de novos designers.

Feiras nacionais e internacionais

O sucesso das ações também é resultado de parcerias que visam o fortalecimento das atividades de compromisso que o governo do Acre tem na promoção, expansão e modernização da economia do Estado, por meio da valorização da produção artesanal, na busca pela melhoria da qualidade de vida dos povos da floresta e políticas de desenvolvimento sustentável.

Com apoio de instituições parceiras, o Acre esteve representado em feiras nacionais e internacionais por meio da Secretaria de Estado de Pequenos Negócios (SEPN), a qual fortalece a microeconomia local, pelo artesanato acreano produzido com finas peças a partir da matéria-prima regional.

Em 2016, quatro artesãs acreanas receberam o Prêmio Top100 do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Com base no volume de negócios e no índice de visitação aos estandes acreanos, os indicadores de desempenho colocaram o Acre em primeiro lugar entre as maiores potências do artesanato no Brasil. Desde então, o estado se mantém nas três primeiras posições no ranking.

A XVIII Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), considerada a maior da América Latina, e a 28ª Feira Nacional de Artesanato, somadas aos eventos locais, renderam em 2017 mais de R$ 4 milhões aos empreendedores artesanais do Acre.

Feiras locais

As feiras locais obtiveram um crescimento contínuo, nesses últimos 3 anos, com índice de mais de 48% de elevação nas vendas de 2015 a 2017. Os dados expressivos do segmento de lojas de venda direta ao consumidor denotam sua importância na economia do setor artesanal. O volume de negócios passou de um patamar de R$ 2.506.229,67 para R$ 2.974.762,12, que perfaz um crescimento de mais de 18%.

Em suma, o setor artesanal agregou à economia acreana R$ 12.642.849,94, em vendas nesses últimos três anos, com uma renda per capita (por artesãos cadastrados) estimada em R$ 3.300,00/ano.

2017 foi um ano de avanços e desenvolvimento. O artesanato do estado é de credibilidade, de qualidade a nível nacional, graças ao incentivo e apoio do governo. Continuaremos incentivando a participação em feiras nacionais e à produção local e a capacitação dos artesãos do Acre


Henry Nogueira

Realizando sonhos

Há 57 anos Enoque Tavares, trabalha com escultura em cimento retratando histórias por meio das lendas regionais, o artista transfere um pouco de seu conhecimento e experiência a novos profissionais do ramo. “Só tenho a agradecer ao governo do estado por me dar a oportunidade de ver meu produto sendo comercializado dentro e fora do estado, ensino um pouco do que sei, e quero ver meus alunos brilhando mundo a fora”.

“Temos muito que agradecer à primeira-dama do estado, Marlúcia Cândida, pelo apoio que recebemos de seu gabinete. Acompanhar o passo a passo de cada artesão desde o início de todo o processo, a capacitação, os produtos prontos, as participações em feiras, vê-los se tornarem empreendedores individuais, essa é nossa maior recompensa”, ressalta a coordenadora estadual de artesanato, Marilda Brasileiro.

Para a primeira-dama Marlúcia Cândida, o programa representa uma grande mudança para inúmeras famílias em todo o Estado. “Ficamos muito felizes em saber que ao longo desses anos foram gerados R$ 12 milhões dentro do estado. Imagina quantas famílias se beneficiaram, quantas foram alimentadas, conseguiram honrar com seus compromissos, adquirir sua casa própria, seu carro ou pagar o seu aluguel, por meio desse programa transformador”, destaca.

Casa Arte Nativa

No segundo semestre de 2018 será inaugurada a “Casa Arte Nativa”, uma loja matriz onde serão comercializados os produtos artesanais acreanos. A casa será na sede da coordenação Estadual do Artesanato Acreano, na rua Coronel João Donato, número 125, bairro Ipase. A comercialização vai viabilizar ao artesão, a compra de matéria-prima.

No decorrer deste ano a comissão se prepara para realizar uma rodada de negócios, na capital: o segundo Congresso Estadual de Artesãos. Em Cruzeiro do Sul será lançado o Catálogo das peças desenvolvidas na Clínica de Designer, em parceria com a Sebrae/AC e oficinas, além das feiras locais e nacionais, onde o Acre mais uma vez estará sendo representado.

“Esse apoio é essencial para o desenvolvimento empresarial de cada artesão. A partir desses auxílios estamos nos consolidando, alcançando novas oportunidades de negócios até mesmo fora de nossa região. Devido a esse apoio hoje tenho clientes que compram meus produto regularmente“, pontuou a empresária em Marchetaria, Florinda Bissoli.

Parceiros

Dentre outras instituições a Secretaria de Pequenos Negócios conta com o apoio do Sebrae, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade(ICMBio), gabinete da primeira-dama do Estado, gabinete do Senador Jorge Viana, banco alemão KFW (Kreditanstalt für Wiederaufbau), Banco do Brasil(BB), Fundação Banco do Brasil, Instituto Dom Moacir (IDM), Instituto Sócio Educativo(ISE), Caixa Econômica Federal, Universidade de Brasília(UNB) e Federação do Artesão Acreano.