http://www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2018/01/WhatsApp-Image-2018-01-11-at-15.47.21-1200x400.jpeg
Meio Ambiente

Plano de contingência da Hidrelétrica de Jirau garante elevação da BR-364

Maria Meirelles
02.02.2018 19:14
Atualizado 06.02.2018 às 9:52

Após intermédio do governo do Estado, que tem articulado juntos aos órgãos federais ações preventivas e mitigadoras de danos em caso de uma enchente do Rio Madeira, a Energia Sustentável do Brasil (ESBR) – empresa que administra a Hidrelétrica de Jirau – se comprometeu em iniciar as obras de elevação dos trechos de vulnerabilidade da BR-364, tão logo o projeto seja aprovado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit).

A Defesa Civil do Acre contribuiu com consolidação do plano de contingência de Jirau (Foto: Maria Meirelles/Secom)

Nesta sexta-feira, 2, o coordenador da Defesa Civil do Acre, coronel Carlos Batista, esteve na sede da Usina de Jirau para contribuir com a consolidação do plano de contingência da empresa. Participaram ainda do encontro representantes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil de Rondônia Dnit e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O projeto de elevação da rodovia é de responsabilidade do governo federal, mas a execução da obra ficará a cargo da ESBR. Na primeira fase, intitulada “emergencial”, 13 quilômetros serão elevados em até 50 centímetros. Posteriormente, a empresa pretende aumentar ainda mais a distância entre a rodovia e o manancial, nos trechos mais vulneráveis, atingidos pelas águas em 2014, a pista da estrada será elevada em até dois metros.

“Estamos trabalhando juntos, Dnit e Defesas Civis do Acre e Rondônia, avaliando os pontos mais críticos da BR-364. Já temos um plano emergencial sendo avaliado e muito em breve vamos trabalhar ainda mais para minimizar e evitar quaisquer riscos para a comunidade ou de isolamento do estado do Acre. A Energia Sustentável está atuando nisso com muita seriedade”, salientou o diretor administrativo da Usina Hidrelétrica de Jirau, Júlio Freitas.

Segundo o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Carlos Batista, as obras vão assegurar a trafegabilidade da rodovia ainda que o Rio Madeira alcance níveis elevados. “Temos uma previsão de enchente dentro da normalidade, nada comparado ao que ocorreu em 2014, mas, mesmo assim será realizado o alteamento dos trechos críticos estrada”, frisou o coronel.

Trafegabilidade garantida

No período da tarde, os gestores vistoriam in loco os trechos da BR-364, afetados pela enchente de 2014, quando o Acre ficou isolado por terra do restante do país. O nível do Rio Madeira, no Abunã, registrou nesta manhã a marca de 20,11 metros. A cota não afeta o tráfego de veículos na BR-364, que segue com fluxo normal. A lâmina de água do manancial está a mais de um metro de distância da estrada.

Além da elevação da pista, que garantirá a segurança dos condutores, o plano de contingência da ESBR também prevê amplo apoio aos estados do Acre e Rondônia em caso de inundação.

Mais notícias