Cidades do Acre

Polícia reforça segurança no Terminal Urbano e demais linhas de transporte

Maria Meirelles
15.02.2017 20:12

500 homens fazem parte da Operação Volta Para Casa (Foto: Diego Gurgel/Secom)

O direito de ir vir da população tem sido assegurado pelo governo do Estado. A segurança dos usuários de transporte público foi reforçada nesta quarta-feira, 15, com a presença de militares no Terminal Urbano e demais pontos de ônibus.

A ação é uma reposta do Sistema Integrado de Pública do Acre aos atentados criminosos, ocorridos em Rio Branco. A Operação Volta Para Casa teve início pela manhã e se estende durante toda a madrugada com 500 homens das Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros e Exército por toda a capital acreana para garantir o retorno seguro para casa.

Os militares realizam trabalho de fiscalização e prevenção em todos os terminais de integração, linhas de ônibus e até mesmo dentro dos próprios coletivos.

“Temos homens devidamente armados e fardados, como também policiais à paisana para garantir a segurança dos cidadãos. A população pode ficar tranquila, pois não apenas a Polícia Militar, mas todo o Sistema de Segurança Pública está voltado para garantir a locomoção segura e tranquila na capital”, frisou o major da PM, José Messias.

Elizangela relatou a importância da presença da polícia (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Para a empregada doméstica Elizangela Santos da Conceição, 37 anos, a presença da polícia traz mais tranquilidade na volta para casa. “Os ataques deixaram a população aterrorizada, mas a presença da polícia nos deixa mais seguros”, frisou.

Segundo o superintendente municipal de Transportes e Trânsito, Gabriel Forneck, o sistema de transporte coletivo segue com fluxo normalizado. “Amanhã, o nosso fluxo se inicia normalmente, às cinco horas. A população pode ficar tranquila”.

Viaturas da polícia acompanham as linhas de ônibus até as paradas finais. A ação compõe o pacote de medidas divulgado nesta quarta-feira, 15, pela Segurança Pública, que visa prevenir e coibir ações criminosas na capital.

Mais notícias