Alagação

Rio continua subindo e famílias são removidas de residências em Brasileia

Maria Meirelles
17.02.2017 9:38

A situação é monitorada pelos órgãos de proteção e defesa (Fernando Oliveira/Secom)

A onda de vazão, oriunda das cabeceiras do Rio Acre, resultou no aumento do seu nível em municípios do Alto e Baixo Acre. Nesta sexta-feira, 17, o rio registrou a cota de 10,62 metros, em Brasileia, e já desaloja oito famílias, residentes de áreas de risco dos bairros Eldorado e Cajeacre.

No município, que faz fronteira com a Bolívia, o manancial encontra-se acima da sua cota de alerta, de 9,50 metros, e abaixo da de transbordamento, 11,50 metros. As famílias afetadas receberam suporte da Prefeitura de Brasileia e Corpo de Bombeiros e estão acomodadas na casa de parentes.

A previsão para as próximas três horas é que o Rio Acre atinja a cota de 10,72 metros, em Brasileia. Além disso, segundo dados do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe), existe a probabilidade de chuvas de até 16 milímetros para a região, nas próximas 24 horas.

A situação é monitorada pelo governo do Estado, por meio da Comissão Estadual de Gestão de Riscos Ambientais, Defesa Civil Estadual e Prefeitura de Brasileia, que possui plano de contingência pronto e aprovado, caso seja necessário colocar em prática.

Já em Assis Brasil, as águas seguem baixando. O nível do Rio Acre hoje é de 5,03 metros. Contudo, as águas elevaram o nível do rio em Xapuri, que registrou nesta manhã a marca de 10,46. No município, a cota de alerta é de 12,50 metros. A previsão é que o rio continue subindo nas próximas horas.

Mais notícias