http://www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2018/05/Operacao-Tiradentes-Bope-Policia-4-1200x400.jpg
Segurança

Seis cidades acreanas não registram homicídios desde dezembro de 2017

Da Redação
12.05.2018 8:15
Atualizado 18.05.2018 às 11:30

A Segurança Pública do Acre divulgou na sexta-feira, 11, que seis cidades não registram nenhum homicídio há pelo menos 120 dias. São elas: Assis Brasil, Epitaciolândia, Manoel Urbano, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Santa Rosa do Purus. Os registros de casos são monitorados 24 horas pela Divisão de Inteligência e pelo Setor de Análise Criminal e Estatística.

Homicídios têm reduzido devido à nova dinâmica de policiamento ostensivo e interiorização das ações especializadas (Foto: Secom)

O dado divulgado cita ainda outras seis cidades que registraram apenas um ou dois casos de crimes contra a vida: Acrelândia, Bujari, Jordão, Mâncio Lima, Brasileia e Rodrigues Alves.

Conforme a Análise Criminal, os primeiros quatro meses de 2018 comparados ao mesmo período de 2017 apresentam uma redução de 20,93% dos casos de homicídios em todos os municípios do Acre.

Em 2017, foram registrados 172 óbitos, entre janeiro e abril. Já neste ano, foram 136, totalizando 36 homicídios a menos na comparação dos dois quadrimestres.

“Nós temos experimentado números em queda neste ano de 2018, mas não estamos satisfeitos pois queremos uma redução ainda mais significativa. Nosso trabalho é diuturno nas ruas. Hoje, por exemplo, a Polícia Militar está nas ruas de todo o estado com a Operação Tiradentes, reforçando as ações com o efetivo administrativo da corporação”, disse o secretário de Segurança Pública Vanderlei Thomas.

Segundo o secretário, os números são positivos, mas norteiam as polícias a um enfrentamento mais específico onde ainda há maior incidência de homicídios como a capital e Cruzeiro do Sul, por exemplo.

Fortalecimento do Raio no interior é uma das estratégia do governo para enfrentar a criminalidade (Foto: Júnior Aguiar)

“Verificamos que a violência e a criminalidade estão concentradas em alguns locais específicos e isso faz com que adotemos estratégias de enfrentamento. Por isso, a Polícia Civil instalou as delegacias de combate ao crime organizado e de repressão a entorpecentes em Cruzeiro do Sul e a PM levou a Companhia Raio para Sena Madureira, Cruzeiro do Sul e Brasileia, assim interiorizando esse enfrentamento”, relatou.

Trabalho integrado das polícias

Visando promover cada vez mais uma cultura de paz, o governo do Estado tem se empenhado na promoção da segurança tanto na capital, quanto no interior. As polícias Militar e Civil têm se desdobrado para obter melhores resultados no enfrentamento à criminalidade, o que têm refletido de forma positiva nos índices.

“Temos feito várias ações, o máximo possível, como as operações Ocupação com presença ostensiva 24 horas em lugares direcionados pela mancha criminal, a Longo Alcance, que vai aos municípios próximos e realiza uma saturação, além da Visibilidade e das ações de rotina nos batalhões. Tudo isso em prol da população”, destacou o comandante-geral da PMAC, coronel Marcos Kinpara.

Polícia Civil tem realizado inúmeras operações investigativas para descapitalizar o crime (Foto: Secom)

Para o secretário da Polícia Civil, delegado Carlos Flávio Portela, as ações de interiorização também têm refletido em bons indicadores. “Prova disso é que os núcleos das especializadas no Juruá já apreenderam mais de 100 quilos de entorpecentes, só em Cruzeiro do Sul, nos últimos dois meses. Além disso, o enfrentamento aos homicídios ocorridos têm sido com uma resposta investigativa, totalizando cerca de 90% de elucidação dos casos registrados nos últimos 40 dias”, afirmou.

Mais notícias