Sistema Integrado de Segurança Pública avalia ações realizadas

Sistema Integrado de Segurança Pública avalia ações realizadas

Texto: Sandro de Brito | Fotos: Secom || Diagramação de Adaildo Neto

Rio Branco, 14 de dezembro de 2018

Representantes do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), formado pela Secretaria de Segurança Pública (Sesp), Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AC), Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), Corpo de Bombeiros (CBMAC), Polícia Civil (PC) e Polícia Militar (PMAC) lançaram na manhã desta sexta-feira, 7, balanço de suas ações realizadas durante os 11 meses e 7 dias de 2018.

O governo do Acre foi o segundo que mais investiu em segurança pública ao longo de 2017. Os dados são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FNSP).

Ano passado, por exemplo, o Acre investiu quase R$ 63 milhões a mais do que no ano anterior nas polícias, sistema penitenciário e demais forças, totalizando R$ 617,26 em segurança por habitante.

Ao todo, foram gastos R$ 512.090.817,79 em 2017, enquanto em 2016 foram R$ 449.177.307,77.

Conforme os dados, com os R$ 617,26 per capita, o Acre se mantém, inclusive, acima da própria média nacional.

O Brasil (União, UFs e Municípios) investiu em 2017 R$ 408,13 por pessoa na segurança pública, o equivalente a 1,3% do Produto Interno Bruto (PIB), um aumento de 0,34 centavos em relação a 2016, ano em que o país destinou apenas R$ 407,79 por cidadão. Segundo o levantamento nacional, somente Roraima ficou à frente do Acre no ranking, investindo R$ 758,75 por habitante.

Isso demonstra que o governo do Acre tem priorizado a segurança pública, apesar da crise nacional e das dificuldades financeiras enfrentadas nos últimos anos.

O secretário de Estado de Segurança Pública e de Polícia Civil, Carlos Flávio, disse que a Sesp catalogou dados bastante positivos e ressaltou o compromisso do governo com reaparelhamento das polícias Civil e Militar, aquisição de novos equipamentos para vídeomonitoramento implantação do cerco eletrônico com instalação de câmeras em pontos estratégicos, fortalecimento do Disque Denúncia – 181, além da modernização de radiocomunicadores digital.

Redução dos homicídios

No combate à criminalidade, o Estado enaltece o trabalho das forças de segurança para reduzir os indicadores da violência.

Os homicídios em todo o Acre reduziram 61,22% de 1 a 30 de novembro. Os dados foram divulgados pela Análise Criminal do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) e comparados com o mesmo período do ano passado, constatando um decréscimo de 49 para 19 assassinatos.

Ao longo do ano, até agora, o estado soma uma redução de 20,26% no número de homicídios em relação ao mesmo período do ano passado. Caindo de 459 para 366 na comparação entre os 11 meses dos anos de 2017 com 2018, respectivamente.

Ações do Detran

Em 2017, o Acre ultrapassou a meta mundial de redução de mortes no trânsito estabelecida em 2011 pela Organização das Nações Unidas (ONU), que previa a diminuição de 50% das mortes nas vias em 10 anos, porém, em menos de seis anos, o estado alcançou 58% de redução, ao passo que o aumento da frota foi de 38% e o crescimento da população, 9%.

A ação harmoniosa e coordenada em três eixos: educação, engenharia e fiscalização, produziu resultado histórico na redução dos índices de mortes e acidentes no trânsito, onde foi possível verificar redução em 26% em todo o estado e 60% em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre.

O órgão também passou por um fortalecimento com a modernização das unidades no interior com reformas das Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretran) de Mâncio Lima, Feijó e Senador Guiomard e fortalecimento das demais, sempre em parceria com as prefeituras, auxiliando no controle da frota e no acompanhamento e fiscalização no processo de formação de condutores. Além da parceria público-privada no complexo de trânsito da 1ª Ciretran de Cruzeiro do Sul, no qual reúne todos as unidades do órgão em um só prédio.

Ações da Polícia Militar

Além do emprego de 1.700 homens na Operação Papai Noel – em andamento -, a Polícia Militar traz um balanço das ações desenvolvidas no combate à criminalidade. Só o Batalhão de Operações Especiais (Bope) capacitou 937 profissionais e recuperou, durante os 11 meses e 7 dias deste ano, 97 veículos roubados e apreendeu 107 armas de fogo, 841 munições, além de R$ 52 mil.

Além de todo esse trabalho, o Bope teve atuação importante em operação de apoio às unidades do interior e também das outras secretarias.

Em 2018, a Polícia Militar inaugurou oficialmente o Colégio Militar Estadual Tiradentes. Funcionando desde março deste ano, a escola comemorou o encerramento de seu primeiro ano letivo destacando o pioneirismo na área e inúmeros indicadores positivos.

Até o ano passado, o Acre era o único estado do país que não contava com um colégio militar. Criado em dezembro de 2017, na gestão do governador Tião Viana, o Tiradentes atende hoje 562 alunos, entre dependentes de militares estaduais e comunidade civil do bairro Calafate, em Rio Branco.

Iapen

Instituição também obteve avanços significativos acerca do controle de entrada e saída de detentos, além de implantar o monitoramento eletrônico, setor que ganhou destaque nacional por sua eficácia.

Uma das áreas em que o governo mais investiu na Segurança Pública, foi a reestruturação do Sistema Penitenciário, até então um dos Estados que possuía o maior déficit. Foram abertas mais de duas mil vagas, com ampliação e reformas das unidades já existentes, além da construção de novos blocos.

Além disso, o trabalho de ressocialização dos internos é uma realidade, os reeducandos recebem a oportunidade de se reintegrar à sociedade e ao mercado de trabalho por meio de capacitações profissionais e utilizando a agricultura como uma alternativa.

Polícia Civil

A Polícia Civil tem desenvolvido um papel fundamental no que diz respeito aos processos investigativos e tem também recebido atenção do governador Tião Viana.

Até o fim de dezembro, a Delegacia da 6ª Regional deve ser inaugurada na Cidade do Povo. Além do investimento, o governo do Estado aprovou o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) da instituição, o que proporcionou uma melhoria salarial aos operadores de segurança em quase 100% e com as garantias previdenciárias.

Durante o ano de 2018, a instituição cumpriu mais de 3.274 mandados de prisão e de busca e apreensão, resultando em mais 1.524 kg de entorpecentes apreendidos, 352 armas de fogo retiradas de circulação e 1.589 munições de diversos calibres.

Além disso, a Polícia Civil também realizou mais de 95 operações, 25 delas realizadas de forma integrada com outras forças de segurança do Estado o que contribuiu na queda nos índices de criminalidade, sobretudo nos casos de homicídios.

Corpo de Bombeiros

O Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC), além das situações de combate aos incêndios e apoio nas enchentes, desenvolve trabalho preventivo em suas unidades e busca dar segurança à população do Estado por meio de campanhas educativas.

Além do já conhecido Bombeiro Mirim, que foi ampliado em 2018, outro projeto que obteve sucesso foi o Curso de Guarda-Vidas, com mais de 500 jovens inscritos.

O programa procura beneficiar jovens em situação de risco. Ao todo, foram aprovados garotos com o mínimo de condicionamento físico e preparação. No total, 48 foram aprovados e continuaram com o treinamento para auxiliar no resgate em casos de afogamentos.

ISE

Aproximadamente 500 jovens em situação de vulnerabilidade e ou em cumprimento de medida socioeducativa foram atendidos pelo programa “Som da Liberdade” do Instituto Socioeducativo do Acre (ISE).

O programa foi idealizado pelo Gabinete da vice-governadora Nazareth Araújo e desenvolve políticas de ressocialização do adolescente em cumprimento de medidas.

(Foto: Alexandre Noronha/Secom)

Além disso, o Festival da Canção Som da Liberdade foi criado com o intuito de oportunizar aos adolescentes em cumprimento de internação nas unidades do Estado e semiliberdade, independentemente do seu ato infracional, acesso à arte e à liberdade de expressão artístico e musical.

Nas unidades do ISE, os adolescentes também têm acesso a cursos profissionalizantes para uma nova oportunidade de vida e inserção no mercado de trabalho.