Geral

Tião Viana é homenageado pelo Morhan do Amazonas

Samuel Bryan
08.02.2017 15:30

Tião Viana recebeu o carinho e a gratidão de centenas de pessoas vítimas da hanseníase e do preconceito que ela causou por anos (Foto: Ascom/AM)

Um momento de muito carinho e agradecimento. Assim pode ser resumida a visita do governador Tião Viana a Manaus (AM) nesta quarta-feira, 8, onde foi homenageado pelas pessoas que compõem e são beneficiadas pelo Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas Pela Hanseníase (Morhan) do Amazonas, numa bonita cerimônia marcada pela presença de centenas de pessoas vítimas da doença e do preconceito que ela causou.

A iniciativa é uma forma de reconhecimento e agradecimento a Tião Viana pela autoria, ainda quando senador, da lei 11.520, de 2007, que garante a toda pessoa isolada à força pelo Estado em um leprosário uma pensão indenizatória vitalícia mensal de R$ 1,206,00. A atuação do presidente Lula na época também foi fundamental para a aprovação do projeto.

Em todo o Brasil, mais de 10 mil pessoas foram beneficiadas com a lei de indenização criada por Tião Viana (Foto: Ascom/AM)

“Atuando como médico, a minha luta era para ajudar os hansenianos do Acre a se tratarem e a superarem o preconceito que lhes fora imposto pelo isolamento compulsório de uma doença tão cruel. E depois que as colônias foram se desfazendo, percebi como político que era hora de dar uma compensação a essas pessoas por todo o sofrimento que elas passaram”, conta Tião Viana.

Em todo o país, a lei criada por Tião Viana beneficiou mais de dez mil pessoas, sendo 600 só no Acre.

Com os valores repassados a essas pessoas, que colecionam desoladoras e tristes histórias de vida junto aos hospitais-colônia, os doentes e suas famílias puderam ter novas conquistas e melhorar a qualidade de vida.

O coordenador do Morhan no Amazonas, Pedro Borges, conta do impacto da lei na vida de todos atingidos pela hanseníase: “Tinham muitas pessoas que não tinham uma moradia, hoje por causa dessa lei elas têm. Não tinham um carro pra se locomover, hoje elas têm. Essa é uma lei que trouxe uma libertação para a gente e por causa disso hoje todas elas estão mais integradas a sociedade”.

O vice-governador do Amazonas, Henrique Oliveira, também esteve presente na homenagem. Ele ressaltou que o governo do Amazonas foi um dos que mais se esforçou pelos hansenianos e agradeceu a Tião Viana pela lei. “Essa vinda do Tião Viana, que apresentou um projeto que beneficiou muito os portadores de hanseníase, é um motivo de muita alegria. O governo do Amazonas continua investindo em políticas para reduzir o alcance dessa doença e hoje prestigiamos essa verdadeira honraria”.

Como médico infectologista, Tião Viana dedicou grande parte de seu trabalho na luta por dignidade e tratamento humanitário aos pacientes portadores de hanseníase, uma doença que gerou muito preconceito e colônias de isolamento espalhadas por todo o país.

Por sua atuação como médico e político defensor dos hansenianos, Tião já recebeu diversas homenagens pelo Morhan do Acre, além do Morhan de Minas Gerais, numa cerimônia em 2015 na antiga Colônia Santa Izabel, localizada na cidade de Betim.

Mais notícias