http://www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2017/11/IMG_2710_mini-1200x600.jpg
Geral

Tião Viana homenageia Dom Mosé e Congregação Espírito Santo, em Cruzeiro do Sul

Arison Jardim
04.11.2017 11:01
Atualizado 04.11.2017 às 11:19

Em uma homenagem à paz e espiritualidade em Cruzeiro do Sul, o governador Tião Viana, grão-mestre da Ordem da Estrela do Acre, concedeu a insígnia Grã-Cruz ao bispo Dom Mosé João Pontelo e à Congregação Espírito Santo, em Cruzeiro do Sul, na sexta-feira, 3.

Acompanhado pela chefe da Casa Civil e chanceler da Ordem da Estrela do Acre, Márcia Regina Pereira, o governador reconheceu o trabalho social que os espiritanos, representados pelo Padre Inácio Sangueve Pacheco, fazem há 100 anos ao espalhar o evangelho na região do Juruá. Além de reconhecer também a importância do bispo Dom Mosé, que há 19 anos congrega em Cruzeiro do Sul e em 2017 completa 50 anos de trabalho missionário.

Trabalho da Congregação Espírito Santo completa 100 anos em Cruzeiro do Sul (Foto: Sérgio Vale/Secom)

“Com essa homenagem, eu olho a história da educação, dos barcos construídos aqui no Juruá, das edificações, da solidariedade humana, onde doações vinham da Alemanha e atravessavam o mundo para chegar aqui nas comunidades carentes e abandonadas. A organização das comunidades agrícolas vem dos Espiritanos, dos freis alemães”, afirmou o governador. Viana explica que os Espiritanos fizeram um grande trabalho de pacificação e impediram a instalação das companhias exploradoras na região.

O grão-mestre da Ordem lembrou também da missão espiritual que o Bispo Dom Mosé vem ensinando para a sociedade. “É a lição de uma igreja da simplicidade, do acolhimento, que procurou cumprir seu papel institucional, missionário cristão sem a arrogância e valorizando todos. Esse exercício de simplicidade, talvez, seja uma grande fortaleza na vida do Dom Mosé”, afirmou.

Lembrando ainda da grande importância que a religiosidade no Juruá tem na preservação da natureza, o governador deixou uma mensagem de alerta para o que afirma ser a grande crise mundial, a mudança do clima.

“A ordem dos espiritanos ensina, como disse Dom Mosé, com tanta sabedoria, vamos nos preocupar com hoje e deixar da ambição do amanhã. Se fôssemos simples, se quiséssemos menos, se tivéssemos o egoísmo colocado no seu canto, estaríamos fazendo mais ainda por esse planeta”, disse.

Os homenageados

Com altivez e a humildade de um líder espiritual, Dom Mosé falou sobre sua missão ali reconhecida pelo Estado do Acre. “Sempre me coloquei à disposição às realidades cidadãs. Procuro sempre me colocar de uma forma construtiva, seja por causa da missão, ou do seguimento de Jesus Cristo ou por causa da cidadania”, declarou.

O bispo também deixou algumas palavras que demonstram sua fé na construção de um futuro justo. “Temos que ter confiança e esperança que as coisas podem e vão melhorar, junto com a colaboração de cada um de nós. Todos formamos uma família, nos interessa que a sociedade seja cada vez mais harmoniosa”, disse.

Padre Inácio Sangueve representou todos os missionários ao receber a insígnia (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Ele complementou ainda com seu desejo de “que nossa sociedade acreana construa um projeto em que as pessoas vivam sua dignidade, partilhem seus bens e capacidades e possam caminhar sempre em união”.

Superior da Congregação do Espírito Santo na região, o padre Inácio Sangueve representou todos os missionários ao receber a insígnia. “Meu desejo é que aqueles que trilharam esse caminho estivessem aqui, mas nossa vida é limitada”, disse. “Agradecemos, de coração, ao senhor governador e sua equipe pela iniciativa de nos conceder a Ordem da Estrela do Acre, como reconhecimento do trabalho missionário da nossa congregação nesses 100 anos de presença no Vale do Juruá”, complementou.

O deputado federal César Messias, natural de Cruzeiro do Sul e que teve em sua vida uma história marcada pela solidariedade da igreja da cidade, fez seu relato pela homenagem. “A história de Cruzeiro do Sul se mistura com a da Igreja Católica. Foi ela que trouxe para a cidade a primeira marcenaria, também a primeira cerâmica. Tem uma história na área social e educacional extraordinária. Minhas palavras são de gratidão ao governo do Estado por esse reconhecimento e a todos os religiosos que ajudaram a construir nossa cidade”, declarou.

Solenidade foi acompanhada por autoridades da Ufac, Legislativo e Governo (Foto: Sérgio Vale/Secom)

“A Ordem da Estrela do Acre é a mais alta honraria que o Estado acreano possui para homenagear homens e mulheres, instituições que abraçam essa terra e contribuem para sua construção”, disse a chanceler da Ordem. Márcia Regina afirmou também que, ao ajudar na construção de uma sociedade fraterna, os homenageados do dia honraram com a história acreana.

A solenidade foi acompanhada por diversas autoridades. Estiveram presentes os deputados estaduais Josa da Farmácia e Raimundinho da Saúde; o reitor e vice-reitora da Universidade Federal do Acre, Minoru Kinpara e Margarida Aquino, além do comandante-geral da Polícia Militar do Acre, Coronel Júlio César.

Mais notícias