https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/05/WhatsApp-Image-2019-05-08-at-08.41.26-1.jpeg?resize=1200%2C400&ssl=1
Economia

Acre é destaque no 12º Salão de Artesanato que começou nesta quarta em Brasília

Golby Pullig
08.05.2019 14:36
Atualizado 08.05.2019 às 14:48

Quatorze artesãos levaram um pouco do Acre para o 12º Salão de Artesanato, que está sendo realizado de hoje, 08, até 12 de maio no Pátio Brasil Shopping em Brasília e tem como tema em 2019 Raízes Brasileiras. O evento, considerado o terceiro maior do país, reúne anualmente cerca de mil artesãos de quase todos os estados do país. Este ano 21 estados participam. O Acre é o homenageado desta edição e ganhou o espaço de dois estandes para apresentar as peças que traduzem a cultura, a culinária, a história e a arte do povo acreano.

Um desses artesãos, que aproveitam a oportunidade para viabilizar novos negócios e ampliar as vendas para outras regiões do país, é José Rodrigues de Araújo, conhecido como “doutor da borracha”. Ele produz junto com a esposa, na zona rural do município de Epitaciolândia, calçados feitos de látex processado. A borracha recebe um produto químico coagulante que vira uma espécie de manta. Ela é tingida, cortada e modelada para se transformar em sapatos, sapatilhas, botas, sandálias, bolsas e bijouterias.

Para o Salão do Artesanato, José Araújo levou 450 calçados, entre outros acessórios. Ele foi um dos homenageados pelo Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) e recebeu o prêmio das mãos do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Caio Megale.

José Araújo, o doutor da borracha, foi um dos homenageados durante o 12º Salão de Artesanato (Foto: Divulgação)

As peças exclusivas do artesão Maqueson, de Cruzeiro do Sul, também estão na feira. Elas já são conhecidas nos principais eventos de artesanato e têm-se destacado do cenário da moda brasileira com suas famosas clutches feitas com a técnica de machetaria e custam, em média, 1,5 mil. Antes do início da feira seis delas já haviam sido vendidas.

A coordenadora do Artesanato do Acre, Suelany Paiva, que também recebeu homenagem do PAB diz que o evento dá visibilidade ao Acre, com a diversidade do artesanato. “Antes mesmo do estande estar montado os lojistas já fechavam encomendas e estavam vendendo. Isso é muito importante, os artesãos fazendo novos negócios gerando renda e fortalecendo seus empreendimentos”.

O Acre é um dos estados com maior volume de vendas e todos os anos se destaca entre os três primeiros que mais vendem. Um dia antes e nas primeiras horas da feira, os artesãos já haviam vendido o equivale a R$ 32 mil. Atualmente, dois mil artesãos acreanos estão cadastrados no Programa de Artesanato Acreano. Um dos estandes do Acre, nomeado de Sabores da Floresta, apresentará aos visitantes um pouco da culinária local com o preparo de tapioca, pratos com pirarucu e sucos como o de cupuaçu e açaí.

Mais notícias