Segurança

Caso Zé Alexandre: Diretor de Polícia Civil avalia como “adequada” condenação de criminosos

Da Redação
20.02.2009 16:29
Atualizado 20.02.2009 às 16:29

Investigação criteriosa e rápida  prendeu autores do assassinato do conselheiro estadual de saúde em 2008

O Diretor de Polícia Civil, avaliou como "adequada" a pena aplicada aos envolvidos no assassinato do conselheiro estadual de saúde, Joseh Alexandre Leitão. A Vara do Tribunal do Júri condenou os criminosos a penas que somam mais de 90 anos de prisão, resultado que foi possível com segurança a partir das sólidas provas técnicas e testemunhais obtidas pela Polícia Civil. O inquérito, presidido por Farias, foi encaminhado à Justiça apenas uma semana após ter sido instaurado pela Delegacia de Combate ao Crime Organizado. 

O processo encerrou-se nesta última quinta-feira, 19, com o anúncio da setença aos envolvidos no crime que chocou  Rio Branco. A investigação da Polícia Civil dotou o inquérito de provas testemunhais e técnicas que não deixam dúvidas quanto à autoria que de tão criteriosa, promoveu indiciamentos não somente dos diretamente envolvidos  como dos integrantes de  uma cadeia de receptação de produtos roubados e de tráfico de drogas que atuava  na capital.

Zé Alexandre, como era conhecido, foi brutalmente assassinado em sua casa no dia 3 de julho de 2008. A investigação ficou à cargo do delegado Emilson Farias, hoje secretário de Estado da Polícia Civil. "Utilizamos técnicas de investigação prevista na lei", resumiu Farias, ressaltando que o trabalho policial em muito facilitou a conclusão da Justiça.

 

Mais notícias