https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/02/IMGM8856.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Notícias

Com Gladson Cameli e a ministra Tereza Cristina produtores marcam início da colheita da soja no Acre

Wesley Moraes
25.02.2019 8:20
Atualizado 25.02.2019 às 8:32

Durante evento, empresário confirmou mega plantação de 1,5 mil hectares de soja e milho para este ano

O governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, abriram a colheita da soja, no Acre, em 2019. Para o gestor, o início da safra marca uma nova era na economia acreana.

“Sabemos que este é um grande desafio, mas quero reafirmar que o Acre está aberto para o desenvolvimento, nosso estado possui terras férteis e de excelente qualidade. Junto com a ministra da Agricultura, vamos ter uma intensa agenda para fazer tudo que for possível para tornar o Acre competitivo com os demais estados”, ressaltou.

Tendo o agronegócio como um dos principais propulsores da atual administração, o governador assegurou ainda que o homem do campo terá o suporte necessário para produzir sem nenhum entrave burocrático.

Comitiva observa plantio de soja no km 16, da BR-364, junto da ministra Tereza Cristina, e do governador Gladson Cameli (Foto: Odair Leal/Secom)

Cameli já sinalizou a flexibilização da legislação ambiental estadual e a segurança jurídica para que o agricultor consiga produzir em larga escala. Gladson Cameli quer transformar o Acre em um grande celeiro de alimentos para o Brasil. Visionário, o gestor acena para o agronegócio como a salvação econômica do Estado por meio da geração de postos de trabalho e renda.

A ministra da Agricultura elogiou a nova postura econômica adotada por Gladson Cameli. Segundo Tereza Cristina, o país tem forte inclinação para a produção rural e o Acre, a partir de agora, entra no cenário nacional como uma nova fronteira agrícola em potencial.

“O governador Gladson Cameli quer trazer prosperidade e gerar emprego e renda para o Acre. Fico muito feliz em ver esta iniciativa dele privilegiando o agronegócio. O Brasil tem uma vocação para o agronegócio e o que nós precisamos é ter uma produção organizada e uma convivência entre as cadeias produtivas”, pontuou Tereza Cristina.

Prioridade em sua gestão, Gladson não tem medido esforços para conhecer as melhores experiências do país na área do agronegócio para serem implantadas no Acre.

Durante visita ao estado de Rondônia, em janeiro, o governador reafirmou que o Acre está aberto para o desenvolvimento. Segundo Cameli, oito grandes grupos empresariais ligados ao agronegócio já demonstraram interesse em se instalarem no estado.

Além do governador Gladson Cameli e da ministra Tereza Cristina, a solenidade foi prestigiada pelo secretário de Estado de Produção e Agronegócio, Paulo Wadt, pelos senadores Sérgio Petecão e Mailza Gomes, pelos deputados federais Alan Rick, Jéssica Sales, Jesus Sérgio e Mara Rocha e demais autoridades.

Empresário vai plantar 1,5 mil hectares de soja e milho no Acre

A mega plantação de 500 hectares de soja visitada pelo governador Gladson Cameli e pela ministra Tereza Cristina fica localizada na Fazenda Mariana, zona rural de Rio Branco.

A propriedade rural pertence ao empresário Raiolando Costa. Ele conta que começou a plantar o grão em 2003. Porém, encontrou muitas dificuldades para levar o negócio a frente.

Além do burocrático processo para obter o licenciamento ambiental da área plantada, Raiolando foi limitado a cultivar somente 49 hectares de soja. O empresário conta que ficou desanimado e abandonou a cultura por vários anos.

Com a mudança da política econômica adotada pela nova administração estadual, Costa voltou a plantar o grão no fim de 2018. O empresário está confiante e afirma que o Acre está no caminho do progresso.

“Para nós, está sendo como um milagre. A gente vivia em uma opressão muito grande porque só tínhamos autorização para plantar 49 hectares e, hoje, estamos plantando 500 hectares após essa mudança de governo que aconteceu e eu acredito que o desenvolvimento do nosso estado está no agronegócio”, afirmou.

Animado com o fim dos entraves burocráticos, Raiolando anunciou a aquisição de uma mega fazenda para ampliar a produção de grãos. “Compramos uma área de mil hectares na estrada de Boca do Acre onde também vamos iniciar, ainda este ano, o plantio de soja e milho”, argumentou.

Governador Gladson Cameli percorre plantio de soja com a ministra Tereza Cristina, parlamentares e produtores; visita de representante do governo federal marca início da colheita de soja no Acre (Foto: Odair Leal/Secom)

Acre, localização privilegiada para o desenvolvimento

Localizado na tríplice fronteira Brasil, Peru e Bolívia, o Acre está em posição privilegiada. A proximidade com os países andinos é a rota para alcançar um mercado de mais de 44 milhões de consumidores em potencial.

Além disso, com a conclusão da estrada do Pacífico, exportar a produção por meio dos portos peruanos diminui a distância e o tempo em relação os países asiáticos, um dos principais importadores de insumos brasileiros. Enquanto era senador, Gladson Cameli garantiu a liberação para que o Acre exporte carne bovina e de aves para Peru e Bolívia.

A partir de agora, com a implantação da cultura da soja, o estado se coloca novamente em localização estratégica. Toda produção pode ser escoada pelo porto graneleiro de Porto Velho(RO), por meio da hidrovia do rio Madeira.

A força da soja

A maior parte da soja produzida no mundo é destinada basicamente para suprir duas grandes demandas que não param de crescer. A primeira delas é a ração animal.

Com o aumento do consumo de carne, aproximadamente 80% da produção mundial de soja são destinadas para a alimentação bovina, suína e de aves. O grão, que é muito rico em proteínas, nutre e fortalece os animais.

Já outros 18% vão para a produção de óleo de soja, o tipo mais consumido no planeta(corresponde a 25% do mercado de óleos vegetais).

Na última década, a área de cultivo de soja mais que dobrou. Os maiores crescimentos foram registrados na América do Sul. Estados Unidos, Brasil e Argentina são os maiores produtores globais. Já a China e os países da Europa são os maiores importadores do grão.

O Brasil é o segundo maior produtor de soja do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Durante a safra 2017/2018, a produção nacional chegou a 119,3 milhões de toneladas, um recorde. O estado do Mato Grosso é o maior produtor do país.

Mais notícias