https://i2.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/07/WhatsApp-Image-2019-07-11-at-9.02.57-AM.jpeg?resize=1152%2C400&ssl=1
Geral

Depasa reativa Estação Elevatória do Manoel Julião e Estação de Tratamento e Esgoto da Conquista

Cleide Elizabeth
11.07.2019 14:42
Atualizado 11.07.2019 às 14:42

O Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa), reativou nesta quarta-feira,10, a Estação Elevatória do Conjunto Manoel Julião. A Elevatória deixou de funcionar no final de 2018, quando havia sido depredada pela ação de vândalos. A operação realizada pelo Depasa incluiu a desobstrução da tubulação, limpeza das bombas e reparo de toda a rede elétrica.

Uma elevatória é um sistema formado por bombas, válvulas e equipamentos elétricos capazes de bombear a água de uma área mais baixa para sistemas de tratamento em níveis mais elevados. A Estação Elevatória de Esgoto (EEE), pode funcionar como reservatório, para a coleta de água em resíduos do solo, em operações com variação de vazão.

Uma elevatória é um sistema formado por bombas, válvulas e equipamentos elétricos capazes de bombear a água de uma área mais baixa para sistemas de tratamento em níveis mais elevados Foto: Cedida

Agora em pleno funcionamento, a Elevatória do Manoel Julião voltou a transportar o esgoto do conjunto habitacional para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do bairro Conquista, também reativada pelo Depasa desde segunda-feira, 8.

Construída para receber o esgoto dos conjuntos Universitário I, II, e III, Tucumã, Tangará, Conquista e Manoel Julião, a ETE da Conquista deixou de funcionar há cerca de um ano. Para reativar a unidade operacional, a primeira medida foi limpeza geral da área e manutenção dos equipamentos que compõem o sistema. A ação do Depasa contou com apoio da Secretaria de Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra) e do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen).

A reativação da Elevatória e da Estação de Tratamento de Esgoto na região da Conquista foi um passo importante para garantir o pleno funcionamento do sistema de esgotamento sanitário da capital, atualmente comprometido por não estar previsto no Plano Diretor de Água e Esgoto elaborado para a cidade no ano 2000, com diretrizes para garantir a captação e o tratamento de 100% do esgoto gerado na cidade.

Teoricamente, todo esse esgoto deveria convergir para as quatro estações de tratamento existentes em Rio Branco: a do São Francisco, que ainda não recebe todo o esgoto que pode receber, operando com capacidade reduzida; a do Redenção, que nunca entrou em funcionamento; a da Cidade do Povo, que chegou a funcionar, mas também foi desativada em 2018; e a da Conquista, reativada agora, na gestão do governador Gladson Cameli. A rede foi ampliada, mas sem a estrutura adequada para que o esgoto possa chegar ao destino devido.

“Com essa elevatória e ETE funcionando estamos corrigindo alguns problemas na rede, evitando, por exemplo, que o esgoto continue surgindo no meio da rua, retornando para as casas ou chegando ‘in natura’ para os igarapés. Foi um primeiro passo. Vamos continuar trabalhando para dar o destino certo também ao esgoto dos conjuntos Universitário I, II e III, Tucumã e Tangará, que deve ser direcionado à ETE da Conquista para tratamento”, explicou o presidente do Depasa, Zenil Chaves.

Uma vez corrigidos os problemas da rede de esgoto, e com todas as estações em funcionamento, o próximo passo será investir na segurança do sistema. Para tanto, o Depasa já trabalha na elaboração e execução de projeto para implantação de sistema de segurança nas unidades operacionais  do órgão.

Mais notícias