https://i2.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/07/Fenearte-7.jpg?resize=1032%2C400&ssl=1
Economia

Dez artesãos do Acre expõem seus produtos na Fenearte em Olinda

Nonato Vianna
04.07.2019 16:18
Atualizado 04.07.2019 às 16:23

A Fenearte é considera a maior Feira de Artesanato da América Latina e tem como objetivo valorizar e difundir os saberes tradicionais, estimular o potencial de crescimento dos artesãos, funcionando como importante elemento estruturador da Cadeira Produtiva do Artesanato.

Com o apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Empreendedorismo e Turismo, juntamente com o Sebrae, dez artesãos de Rio Branco estão participando da 20ª edição da Fenearte que está sendo realizada em Olinda, até o dia 14 de julho, no Centro de Convenções de Pernambuco.

A coordenadora estadual do artesanato no Acre Suelany Paiva ressalta que “Os artesãos participam expondo diferentes tipologias, com grande procura dos lojistas. Estamos otimistas para o volume de vendas. O artesanato acreano sempre nos coloca em primeiro lugar em relação aos outros estados”.

Suelany destaca ainda que os destaque de venda são a marchetaria do artesão Maqueson, as biojoias e as sandálias do Dr. da Borracha, além dos artesanatos indígenas, bordados, cestarias e utilitários em madeira de reaproveitamento florestal.

Artesãos acreanos já comercializaram 422 peças em um dia Foto: cedida

Durante o período da Feira, além da exposição de artesanatos com profissionais de diversos estados brasileiros, o público também terá a oportunidade de ter acesso a uma vasta programação, como Fenearte Sustentável, Espaço Interferência Janeta Costa, Espaço do Sebrae de Artesanato, Alameda dos Mestres, Salão de Arte Popular Ana Holanda, Salão de Arte Popular Religiosa de Pernambuco, Galeria de Reciclados, Espaço Infantil, Oficinas de Artesanatos, Desfile de Moda, Rodadas de Negócios, Praça de Alimentação, Apresentações Culturais, Food Park e Food Bike.

“O artesanato acreano tem um alto valor agregado, pois, usa produtos madeireiros e não madeireiro da floresta acreana e os artesãos são muito criativos. Isso faz com que as peças sejam mais valorizadas no mercado nacional e internacional. Precisamos que mais pessoas desenvolvam suas habilidades artesanais. Já está comprovado, que um bom artesanato é um trabalho rentável financeiramente”, destacou a secretária de Empreendedorismo e Turismo Eliane Sinhasique.

Como exemplo, ela citou que na quarta-feira, 3, os artesãos do Acre fecharam a Fenearte com venda de 422 peças, totalizando o valor de R$ 80.192,00.

Mais notícias