https://i0.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/04/DSC_0195.jpg?resize=999%2C400&ssl=1
Educação

Educação e PM alinham ações para reforçar segurança nas escolas

Stalin Melo
11.04.2019 17:14
Atualizado 11.04.2019 às 17:14

Uma importante reunião realizada nesta quinta-feira, 11, na Escola de Ensino Integral Sebastião Pedrosa, entre a Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (SEE) e a Polícia Militar do Acre (PMAC) com representantes de vinte e uma escolas do Regional do Segundo Distrito, definiu e alinhou ações para reforçar a segurança nas escolas.

Gestores e coordenadores debateram com a PM uma política de segurança para as escolas.
Foto: Mardilson Gomes

Participaram do encontro o coordenador de Gestão da SEE, professor João Lima, o Major Edvan Rogério, comandante do 2º Batalhão (BPM) e o capitão Rodolfo Velásquez, também do 2º BPM, que organizou o encontro com os gestores e os coordenadores escolares.

Estiveram presentes representantes diversas escolas, entre elas Antônia Fernandes, Carlos Vasconcelos, Paulo Freire, Duque de Caxias, José Chalub Leite, Frei Heitor Turrini, Lourival Pinho, Cristina Maia, André Ficarelli, João Mariano, Elias Mansour, Leôncio de Carvalho, Clarice Fecury, Anita Garibaldi e Raimunda Pará.

Para o professor Mauro Sérgio Moura, diretor da Escola Sebastião Pedrosa, uma das soluções para o enfrentamento à violência nas escolas é a  união de todos, não apenas dos gestores, mas das entidades e órgãos. “Somente esta união é capaz de dar uma resposta à sociedade”, disse.

O gestor ainda fez questão de dizer que após 10 anos na Escola Sebastião Pedrosa “é o primeiro ano em que eu posso dormir com segurança”. Se refere ao fato de que, no passado, a escola já ter sido alvo de diversas ações de bandidos. “Mas esse apoio da SEE tem sido fundamental”, acrescenta.

Professor Mauro Moura (Sebastião Pedrosa) agradeceu a parceria da SEE com as escolas.
Foto: Mardilson Gomes

O idealizar do encontro com os gestores foi o capitão Velásquez. Para ele, a finalidade era justamente provocar o debate para que a PM possa compreender as demandas da comunidade escolar e,  a partir dessas demandas, pensar no conjunto de ações envolvendo, não apenas a PM, mas diversos outros órgãos de segurança.

“De imediato, vamos estar direcionando o nosso policiamento para aquelas escolas e aquelas áreas com maior necessidade, por isso estamos incentivando os gestores a utilizar e chamar sempre o 190 quando se tratar de um  assunto de polícia para, assim, termos um ambiente melhor de se estudar”, afirmou.

 

Mais notícias