https://i2.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/09/WhatsApp-Image-2019-09-19-at-18.36.37.jpeg?resize=1024%2C400&ssl=1
Geral

Estado participa de capacitação para acolhimento, integração e interiorização de refugiados e migrantes

Luana Lima
21.09.2019 10:27
Atualizado 21.09.2019 às 10:30

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), participou nos dias 18, 19 e 20 de setembro, em Belo Horizonte, do “Simpósio Refugiados e Migrantes em Minas Gerais: Como Acolher e Integrar?”. A capacitação é voltada para pessoas envolvidas no acolhimento, integração e interiorização de refugiados e migrantes.

A ação é realizada pela Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes e integra o projeto “Atuação em rede: capacitação dos atores envolvidos no acolhimento, na integração e na interiorização de refugiados e migrantes no Brasil”. A iniciativa já percorreu nove estados brasileiros, com mais de três mil participantes.

João Akira Omoto, Procurador do MPF e Coordenador da Escola Nacional do Ministério Público da União – ESMPU e a diretora de Políticas de Direitos Humanos da SEASDHM, Fran Brito. Foto: Cedida.

Para a diretora de Políticas de Direitos Humanos, Fran Britto, que representa o Estado do Acre no evento, explicou que o objetivo da presença da SEASDHM nesse evento em Belo Horizonte é de levar experiências e conhecimentos para aplicar no Acre.

“Temos um evento marcado para o dia 26, em Brasileia, com o objetivo de começar as tratativas para a criação de um protocolo de atendimento e integração de migrantes e refugiados do Estado do Acre e nessa reunião junto com outras instituições parceiras, pretendemos criar uma política sólida de atendimento a migrantes e refugiados do Estado do Acre”, destacou Fran Britto.

“O Ministério Público Estadual é nosso parceiro e também foram convidados a participar da reunião a Defensoria Pública da União, Defensoria Pública Estadual, Poder Judiciário do Acre, Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, Prefeitura Municipal de Rio Branco, de Assis Brasil, de Brasileia, Epitaciolândia, Alto Comissariado das Nações Unidas e outras instituições”, completou a diretora de Políticas de Direitos Humanos da SEASDHM.

Durante os três dias de evento, dez atividades temáticas, entre minicursos e oficinas foram realizadas. Os minicursos têm como objetivo a formação de pessoas que buscam aprimorar o conhecimento sobre a temática. Já as oficinas são direcionadas a quem atua na área e busca a construção de ações coletivas.

Mais notícias