https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/08/DEPASA_1.jpg?resize=1000%2C400&ssl=1
Geral

Estudantes de Engenharia visitam Estação de Tratamento de Esgoto do São Francisco

Cleide Elizabeth
11.08.2019 7:00
Atualizado 11.08.2019 às 7:08

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE)  do São Francisco, que integra o sistema de saneamento de Rio Branco, foi o local escolhido para aula de campo dos estudantes de Engenharia Civil e Engenharia Ambiental do Centro Universitário Unimeta, na última sexta-feira,9. Acompanhados pelo professor Júlio César Mattos, os estudantes foram recepcionados pelo coordenador da ETE, Josefran Batista, e pelo diretor presidente do Depasa, Zenil Chaves.

“A grande maioria das pessoas tem a preocupação com tratamento da água para beber, mas não lembra que essa mesma água que nós usamos precisa ser também tratada antes de retornar para a natureza. Quando recebemos aqui professores, estudantes, pesquisadores, percebemos que, assim como nós, vocês também têm esse olhar para a importância do tratamento do esgoto. Sejam bem-vindos, aproveitem bem a atividade e sucesso nos estudos e na vida profissional”, disse o presidente do Depasa aos alunos da Unimeta.

Diretor-presidente do Depasa, Zenil Chaves, dá as boas vindas aos estudantes de Engenharia Foto: Neto Lucena/Secom

Durante a visita, os estudantes tiveram oportunidade de verificar, na prática, como ocorre o pré-tratamento do esgoto na unidade do São Francisco. Desde a retirada dos resíduos sólidos como madeira, garrafas pet, tratamento secundário (retirada de resíduos mais finos como tampas, sacos plásticos, areia), passagem pelo reator, aeração (quando é injetado o oxigênio) e decantação (etapa final, momento em que os resíduos são separados).

Para Juceli Araújo, aluna do 8º período de Engenharia Civil, a aula de campo foi enriquecedora para o conhecimento sobre saneamento básico. “A estação de tratamento de esgoto vem pra diminuir a poluição, além de ser uma infraestrutura que trata as águas residuais de origem doméstica ou industrial, comumente chamadas de esgotos sanitários, para, depois, serem escoadas para o rio com um nível de poluição aceitável através de um emissário, tudo isso dentro da legislação vigente”, lembrou Juceli.

O professor Júlio Cesar destacou a importância da atividade realizada em parceria com o governo, por meio do Depasa,  para o desenvolvimento de competências e habilidades do profissional de engenharia. “Essa associação da teoria que os estudantes têm em sala de aula com o campo é fundamental para a formação desse profissional que vai ser absorvido no mercado acreano ou da região Norte, que ainda da tem tantos desafios na aérea de saneamento básico”, disse Júlio Cesar.

 

Mais notícias