https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2008/06/fotos_noticias_junho_08_eufran_050608_900_px.jpg?resize=600%2C400&ssl=1
Meio Ambiente

Eufran Amaral: “Acre tem muito o que comemorar”

Da Redação
05.06.2008 13:24
Atualizado 05.06.2008 às 13:24

Secretário de Meio Ambiente do Acre diz que Estado segue avançando na política política ambiental.

eufran_050608_900_px.jpg

Secretário de Estado do Meio Ambiente, Eufran Amaral (foto: Sérgio Vale)

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente, Eufran Amaral, o Acre tem muito o que comemorar no Dia Mundial do Meio Ambiente porque, em sua opinião, o governo estabeleceu uma "moldura que o olha o futuro". Como grande exemplo, apontou ele, está o Zoneamento Ecológico-Econômico recentemente sancionado pelo Presidente Lula e a vontade política de se estabelecer outros paradigmas de desenvolvimento e sustentabilidade.

Nesse contexto, as áreas protegidas aumentou 100% entre 1999 e 2007 e atualmente  está incurtido na socieade uma  relação econômica com a floresta, que se consolida como ativo de alto valor. O Acre possui 88% de cobertura florestal em seu território. 12% estão desmatados mas nos últimos anos a contribuição do Estado no desflorestamento da Amazônia é muito pequena e não passa de 1,2%. "Em 2007, por exemplo, tivemos a menor taxa de desmate dos últimos 20 anos", afirmou o secretário, que ressalta ações extra-governo, como a decisão da Prefeitura de Senador Guiomard em criar uma secretaria de meio ambiente. "Indica que os municípios estão fortalecendo a gestão ambiental", diz.

A política do Estado, lembra Amaral, "não é a de dizer não pode fazer mas de estimular o debate sobre como se pode fazer". Para isso, são realizadas ações conjuntas e articuladas com todo o conjunto do governo levando em consideração que a propriedade deve ser pensada como um todo -a figura da propriedade agroflorestal é mais  um exemplo.

A preocupação do Estado com as variantes da questão ambiental é grande, garante Amaral. No caso do saneamento, a meta é elevar de 30% para pelo menos 80% o atendimento em Rio Branco, onde se concentra metade da população do Acre. Com a potencialização das unidades de tratamento de esgoto e de resíduos sólidos, muitas já construídas e outras a serem implantadas, o impacto será bastante positivo no ambiente em geral mas especialmente na bacia do rio Acre. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) tem sido essencial no financiamento de projetos com as características do desenvolvimento sustentável.

Mais notícias