https://i2.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/05/26ffb3dd-0735-405d-89df-bfb323c210c5.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Agronegócio

Evento com apoio do Estado reúne cerca de 500 produtores para incentivar a cafeicultura no Acre

Samuel Bryan
06.05.2019 15:33
Atualizado 21.08.2019 às 17:39

A manhã do último sábado, 4, foi marcada pelo Dia de Campo Café Clonal, evento que encerrou o “Circuito Técnico Boasafra no Campo – Café”. Realizado numa propriedade do Ramal Granada, em Acrelândia, cerca de 500 produtores das regiões do Alto e Baixo Acre forem reunidos para conhecer o potencial e oportunidades da cafeicultura no estado, um setor em crescimento.

Produtores das regiões do Alto e Baixo Acre foram a Acrelândia conhecer as propostas para o fortalecimento da cafeicultura (Foto: Assessoria Sepa)

O Dia de Campo foi realizado pela empresa Senepol e Grupo Boasafra, em parceria com o governo do Estado por meio da Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa). Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que o Acre registrou, em três anos, crescimento de 63% na produção do café.

E para o governador Gladson Cameli, expandir ainda mais esse setor é uma prioridade, melhorando incentivos fiscais e diminuindo a burocracia para a produção em larga escala, além de garantir assistência técnica para o crescimento da qualidade do produto.

Segundo o secretário de Produção e Agronegócio, Paulo Wadt, o evento marcou um novo entendimento sobre o agronegócio e o papel dele na agricultura familiar. Ele ainda ficou marcado por uma grande ansiedade entre os produtores para que o programa do governador Cameli para o setor siga em frente, onde os produtores lamentaram tempos em que tiveram pouco acesso à assistência técnica e crédito rural.

“Esse evento foi uma iniciativa do setor privado, entre os produtores, empresas e a Secretaria que organizou a partir do convite deles. Reunimos prefeituras da região que valorizaram os produtores. Foi um evento feito para o produtor rural, para que eles pudessem ver o poder do café e a força da cultura aqui no estado e o que o governo está disposto a fazer para ajudar este setor”, destaca Paulo Wadt.

Produtores animados

Produtores estão animados com proposta do governo para o aumento da produção do café no Acre (Foto: Assessoria Sepa)

Celso Timpurim, paulista de nascimento e morador do Acre há 14 anos, foi quem abriu as portas de sua propriedade para receber o evento e mostrar sua grande produção de café. Ele aproveitou para registrar as boas expectativas que tem com o empenho do governo para a cafeicultura.

“A minha expectativa com esse evento foi superada e a minha expectativa com o café é a melhor possível. Hoje eu tiro cerca de 130 sacas por hectare. Só o preço precisa melhorar um pouco, mas isso está além das nossas capacidades”, conta Celso.

Já Jordan de Almeida é um inexperiente na área, trabalhando com outras culturas. Mas ao ver a grandeza do evento e a aposta no café, se empolgou e decidiu se aprofundar mais no tema para expandir sua produção.

“Para nós que estamos iniciando, esse evento é importante porque viemos aprender. Eu sou totalmente ignorante no assunto, mas eu quero iniciar esse trabalho, quero aprender e ter a oportunidade como tantos outros produtores”.

Parcerias ganham

Parceiro na realização do evento, o Grupo Boasafra é uma das principais redes de distribuição de produtos agropecuários em Rondônia e no Acre. Fundado em 1978, o Grupo se tornou uma referência em produtos rurais como defensivos, fertilizantes e, principalmente, sementes.

Evento foi realizado pela parceria entre o setor privado e o governo do Estado (Foto: assessoria Sepa)

Marcelo Brik, gerente comercial do grupo no Acre destaca como o setor privado acredita no projeto de governo para o agronegócio, agora focando no café. “É uma cultura que vai crescer muito no estado com as iniciativas do governo que está nesse novo começo pela agricultura e em parceria com a iniciativa privada, como o Boasafra. Então é aumentar a produção com tecnologia, para que os produtores consigam melhorar a renda de suas famílias”, ressalta.

O prefeito de Capixaba, Antônio da Silva, também esteve presente no Dia de Campo. Ele foi responsável por trazer 90 produtores interessados na cultura do café.

“Nosso município é muito carente e o setor produtivo esteve em baixa por muito tempo. O Acre tem que se reinventar e o café está em alta. Poderemos vender nossa produção até para outros estados. Esse é um momento que o governo tem que se unir com os produtores, as prefeituras, para abrirmos principalmente linhas de crédito e daqui um tempo vivermos num Acre bem melhor que esse”.

O Dia de Campo Café Clonal contou ainda com representantes do Banco da Amazônia e parceria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), na figura do superintendente Francisco Luziel que esteve presente e destacou a importância de eventos como esse para alavancar a produção agrícola familiar, contribuindo ainda com o transporte de produtores para fazerem parte das atividades. Sebrae, Mercado do Povo, Amazônia Coffe e prefeituras das regionais também apoiaram.

“O Dia de Campo foi muito bom porque pudemos conhecer de perto uma produção bem sucedida de café clonal no Acre que tem se mostrado uma cultura de bastante relevância para o estado. Já temos mais de 30 marcas de café no estado e eu gostaria de parabenizar a iniciativa do governo do Estado, por meio da Sepa, por puxar esse debate e dizer que o Ministério da Agricultura está totalmente a disposição para parcerias”, destaca Luziel.

Mais notícias