https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2008/08/fotos_noticias_julho_08_imagem_materia.jpg?resize=570%2C400&ssl=1
Meio Ambiente

Fiscalização constante orienta legalidade do transporte de toras

Da Redação
01.08.2008 14:47
Atualizado 01.08.2008 às 14:47


Mais de 200 m³ de madeira já foram vistoriados pelo Imac em barreira montada na BR-317

 

imagem_materia.jpg

Imagens de satélite auxiliam na fiscalização

A política adotada pelo Governo do Estado para a coibição do transporte de madeira ilegal têm gerado resultados positivos. Equipes com técnicos do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) estão sendo mobilizadas para montar barreiras em pontos estratégicos de escoamento de madeira. Os pontos são escolhidos de acordo com dados dos Planos de Manejo Florestal e linhas de escoamento. 

 

Durante as vistorias é analisada toda a documentação do transporte, que leva em consideração a quantidade em metros cúbicos, origem e principalmente as espécies de madeira. Essa semana o trecho em foco foi o trevo da BR-317, de Plácido de Castro – Brasiléia. Foram analisadas aproximadamente 200m³. A resposta foi positiva devido à regularidade do produto que passo pelo trecho durante a fiscalização. Isso é uma afirmação para as ações de manejo florestal desenvolvidas pelo Imac, segundo a presidente do instituto, Cleisa Cartaxo. 

Para complementar a fiscalização, há uma equipe móvel que percorre todo o estado, incluindo as rotas alternativas usadas pelos caminhoneiros. A chefe do Departamento de Fiscalização e Denúncia, Geucilene Barreto afirma: “Estamos em pontos estratégicos, mas a mobilidade tem trazido a percepção do que está mudando. A equipe móvel está fazendo o diagnóstico em todo estado”. 

Por fim, um trabalho mais específico é realizado através da equipe de campo que verifica pontos identificados nos sobrevôos. Estes também percorrem os ramais fazendo fiscalização de polígonos identificados no geoprocessamento. A fiscalização tem ficado cada vez mais intensa e rígida em todo estado. E o resultado geral mostra que os madeireiros estão preocupados com a legalização. Fruto do trabalho de licenciamento e do esforço de fiscalização. 

Mais notícias