https://i2.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/06/MG_9251.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Educação

Francineudo Costa assume presidência do Ieptec com o compromisso pela educação técnica

Samuel Bryan
10.06.2019 17:30
Atualizado 10.06.2019 às 17:44

A reforma administrativa proposta pelo governador Gladson Cameli criou o Instituto de Educação Profissional e Tecnológica (Ieptec), que corresponde ao antigo Instituto Dom Moacyr (IDM), e que será responsável pela educação técnica em todo o Acre.

Para assumir a presidência do Instituto, foi nomeado Francineudo Costa. Formado em engenharia florestal e engenharia do trabalho, além de pós-graduando em gestão pública, Francineudo atuou com gestão administrativa em órgãos públicos no Acre e em Rondônia.

Francineudo explica que a prioridade do Instituto será de oferecer uma educação técnica de qualidade para o Acre (Foto: Neto Lucena/Secom)

A estrutura do Ieptec conta hoje com cinco centros de ensino, sendo três em Rio Branco, um em Cruzeiro do Sul e um em Plácido de Castro, além de um núcleo em Tarauacá. Na capital estão localizados o Centro de Educação Profissional e Tecnológica em Serviços Campos Pereira, o Centro de Educação Profissional e Tecnológica de Gastronomia e Hospitalidade Miriam Assis Felício, e a Escola Técnica em Saúde Maria Moreira da Rocha

Francineudo explica que a prioridade do Instituto será de oferecer uma educação técnica de qualidade para o Acre, mas que este momento exige ainda uma organização administrativa e jurídica, com a escolha da nova equipe entre diretores e coordenadores.

“A partir daí, vamos realizar um estudo socioeconômico para definir as prioridades de formação dos jovens para o mercado de trabalho no Acre e oferecer uma nova carteira de cursos para que a sociedade acreana possa ter uma formação profissional de qualidade”, conta o presidente do Ieptec.

Francineudo ainda destaca que desde o início do ano os cursos que estavam sendo oferecidos pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foram paralisados. O governo do Estado já procura maneiras de retomar o Programa, mas aguarda principalmente o posicionalmente da União em seu funcionamento a partir de 2019.

Mais notícias