https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/01/Armamento_PM_Foto_Secom.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Segurança

Gladson garante novos equipamentos para a Polícia Militar do Acre

Wesley Moraes
24.01.2019 9:33
Atualizado 24.01.2019 às 17:39

Governador obteve doação de armas, munições e viaturas para a Polícia Militar do Estado do Acre

Incansável na busca por melhorias para as forças policiais do Acre, o governador Gladson Cameli conseguiu a doação de mais equipamentos que vão dar melhores condições de trabalho aos profissionais da Segurança Pública.

Durante audiência, em Brasília, com o general Guilherme Theophilo, secretário Nacional de Segurança Pública, Cameli assegurou o repasse de 50 fuzis calibre 762, 100 mil munições, 5 viaturas, 400 coletes balísticos, 80 pistolas ponto 40 e mais 50 rádios comunicadores.

“Prometi que não iria medir esforços para dar condições dignas de trabalho para nossos policiais. Aqui está a prova da nossa luta por estes valorosos guerreiros. Tenho certeza, com fé em Deus, que vamos resgatar a paz para às famílias acreanas”, frisou.

Durante a reunião, Cameli explicou para o general Theophilo as condições que se encontram a Segurança Pública acreana. O governador citou o sucateamento de veículos novos e até mesmo a falta de fardamento para policiais militares.

Homens da Polícia Militar com fuzis e motocicletas; novo lote de equipamentos foi anunciado pelo governador Gladson Cameli (Foto: Arquivo Secom)

Um documento foi entregue ao secretário nacional. Nele, o governo pediu a sensibilidade e atenção especial da Secretaria Nacional de Segurança Pública com a Polícia Militar do Estado do Acre.

Defensor da criação da Polícia Nacional de Fronteira, Gladson Cameli pediu ao secretário prioridade para o Acre. O estado faz fronteira com Peru e Bolívia, dois grandes produtores de cocaína.

“O policiamento nas regiões de fronteira é fundamental e não podemos deixar isso somente a cargo do Exército. O estado do Acre está em nossa prioridade e é importante dar atenção especial para esta área para que possamos realizar mais apreensões de materiais ilícitos”, argumentou Theophilo.

Mais notícias