https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/08/IMG_4218.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Governo

Governador recebe representantes da Fundação Mérieux

Wesley Moraes
21.08.2019 19:20
Atualizado 21.08.2019 às 19:27

Moderna unidade doada ao governo acreano em março já está funcionando no diagnóstico de doenças tropicais

Representantes da Fundação Mérieux foram recebidos na tarde desta quarta-feira, 21, pelo governador Gladson Cameli para debater a futura composição do comitê gestor e a implantação do centro de infectologia do laboratório de biologia Charles Mérieux.

Doado em março deste ano ao governo do Acre, a moderna unidade já está funcionando parcialmente. A expectativa é que o laboratório opere por completo até o fim do segundo semestre deste ano. Além dos diagnósticos, o local também atua como centro de pesquisa para teses de mestrado e doutorado.

Governador Gladson Cameli e representantes da Fundação Charles Mérieux Foto: Diego Gurgel/Secom

Segundo o diretor de operações dos Laboratórios Charles Mérieux, Pascal Vincelot, a visita faz parte da metodologia aplicada pela Fundação Charles Mérieux em todas as unidades construídas pela instituição francesa.

Sobre o laboratório implantado em Rio Branco, Vincelot afirmou que “em nossa avaliação, a administração por parte do governo tem sido muito boa desde que repassamos o laboratório e falta pouco para ser totalmente operacional e o governador está disposto a nos ajudar e estamos muito otimistas com os avanços que já foram feitos este ano.”

Pascal Vincelot, da Fundação Mérieux, elogiou o governo do Acre pela administração do laboratório de biologia molecular Foto: Diego Gurgel/Secom

Durante sua fala, Gladson lembrou que melhorar a saúde pública está entre as principais prioridades de sua gestão e afirmou que não medirá esforços para que o laboratório de biologia molecular doado ao governo tenha êxito na identificação das mais diversas doenças tropicais.

“Fiz questão de conhecer o laboratório e fiquei impressionado com a estrutura que foi construída aqui no Acre sem nem um custo aos cofres do Estado e cabe a nós garantir toda estrutura necessária para o funcionamento daquele local e vai ser desta forma, por meio de parcerias com quem realmente quer nos ajudar, como é o caso da Fundação Mérieux, que vamos vencer esse desafio e melhorar o atendimento para a nossa população”, pontuou Cameli.

O laboratório de biologia molecular do Acre é um dos mais modernos do país e está entre as 22 unidades construídas pela Fundação Mérieux espalhadas pelo mundo. De acordo com o médico infectologista Thor Dantas, o diagnóstico de várias doenças típicas, como é o caso da hepatite delta, já está sendo feito com o que há de mais avançado na medicina.

Médico infectologista Thor Dantas explicou que o moderno laboratório já está auxiliando no diagnóstico de doenças tropicais comuns no Acre Foto: Diego Gurgel/Secom

“A cada encontro com os representantes da Fundação nós estamos avançando na perspectiva de ter aqui um laboratório de análise de doenças infecciosas de ponta para fazer o diagnóstico da gripe ao ebola e de todas as doenças infecciosas que são comuns em nossa região, serão atendidas por esta moderna unidade”, observou.

Sobre o laboratório

Localizado na Fundação Estadual Hospital do Acre (Fundhacre), o Laboratório Charles Mérieux foi inaugurado em 2016. A unidade é uma das mais modernas do país para a realização de estudos na área de doenças tropicais. O investimento realizado pela fundação francesa na construção e aquisição de equipamentos foi de R$ 10 milhões.

O moderno laboratório de biologia molecular permite o desenvolvimento de pesquisas em diversas doenças endêmicas, hepatites virais, tuberculose, entre outras, além de servir de campo para formação de recursos humanos na área de diagnóstico molecular.

“Com este laboratório, vamos assegurar o acompanhamento dos pacientes com hepatite, especialmente a delta, já que os médicos terão o diagnóstico completo para tratar esta doença e acompanhar os pacientes. Existem outras análises de diagnósticos moleculares necessários que o SUS [Sistema Único de Saúde] não paga e temos um sistema para criar projetos e desenvolver essas análises que estão faltando e oferecemos gratuitamente para a população”, ressaltou Andreas Stocker, gerente do centro de infectologia do laboratório Charles Mérieux.

Mais notícias