Segurança

Identificada e presa quadrilha de assaltantes

Assessoria Polícia Civil/AC
13.05.2009 15:31
Atualizado 13.05.2009 às 15:31

A partir dessas prisões, Polícia Civil elucida sete crimes de assaltos na capital e consegue devolver os objetos roubados às vítimas

 

Uma investigação do Grupo Antiassalto da Polícia Civil (Gapc) culminou com a prisão de uma quadrilha de ladrões que era comandada por marido e mulher – ele operador de máquinas pesadas e ela, professora. Quatro integrantes do bando já estão na cadeia e sete assaltos ocorridos na capital foram esclarecidos.

Os presos são Antônio Francisco Machado, 33, operador de máquinas, condenado por roubo e que se encontrava em liberdade condicional; a mulher dele, Luciane Rodrigues Moreira, 31, professora; Francisco Arlei da Silva e Silva, 26; e um menor de 17 anos. A partir dessas prisões, a Polícia Civil elucidou sete crimes de assaltos em dois dias na capital.

Entre os crimes atribuídos ao bando, que, segundo as investigações, tinha como mentor intelectual a professora, consta uma tentativa de latrocínio contra a comerciante Raimunda Oliveira da Cunha, 72, mãe do deputado federal Sérgio Petecão (PMN-AC), dia 17 de abril deste ano, no bairro Belo Jardim.

A Polícia Civil concluiu que o grupo assaltou três vezes um posto de combustíveis, a Fazenda Três Marias, um frigorífico, um comércio de roupas, uma casa de carne e a agente penitenciária Francisca Lucina. Entre bens e dinheiro nesses sete assaltos, os criminosos causaram grandes prejuízos às vítimas.

Para a delegada Sônia Ribeiro, trata-se de uma resposta que o Estado presta às vítimas de roubo, através de um trabalho ágil e com o serviço de inteligência da Polícia Civil. A autoridade policial destacou também a importância dos bens recuperados pela polícia que estavam em poder dos criminosos e já foram devolvidos a seus proprietários.

O bando foi enquadrado por roubo, tentativa de latrocínio, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e formação de quadrilha. A professora, que está com prisão temporária, teve ontem o pedido de preventiva encaminhado à Justiça. Isso, em virtude do amplo reconhecimento das vítimas de roubo procedidos na sede do Gapc, durante esta semana. A representação pela prisão preventiva foi lavrada pela delegada Sônia Ribeiro.

Mais notícias