Educação

IDM e INCRA profissionalizam jovens dos assentamentos de reforma agrária

Concita Cardoso
18.06.2008 9:08
Atualizado 18.06.2008 às 9:08

O curso será oferecido a 120 jovens de famílias dos assentamentos de reforma agrária, em sistema de alternância de tempo escola/comunidade

O Governo do Estado, por meio do Instituto de Educação Profissional Dom Moacyr (IDM), em parceria com o Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), promoveu nesta quarta-feira, 18, a comemoração dos 10 anos do PRONERA no Brasil e o lançamento do Projeto de Educação Profissional para Reforma Agrária no Acre, com aula inaugural da primeira turma do Curso Técnico Agroflorestal.

O curso, oferecido a 120 jovens que pertencem a famílias dos assentamentos da reforma agrária, será realizado em sistema de alternância de tempo escola/comunidade, durante o qual os educandos realizam o diagnóstico da situação de desenvolvimento de suas comunidades e elaboram, coletivamente, um plano de desenvolvimento de acordo com as orientações do curso e da comunidade.

"Ao término das atividades, os educandos ministrarão um curso de formação inicial e continuada na comunidade, como ação de implantação do plano e de conclusão do curso", ressalta o gerente de Desenvolvimento Econômico do Instituto Dom Moacyr, Gerlande de Sales.

Ainda segundo Sales, um dos requisitos para o acesso ao curso é que os jovens tenham concluído o ensino médio e que sejam selecionados por meio de indicação das associações de produtores e sindicatos rurais. "O projeto envolve os 21 municípios do Acre onde há assentamentos. As vagas serão distribuídas proporcionalmente ao número de famílias assentadas", afirmou.

Entre os parceiros estão a Federação dos Trabalhadores Rurais do Acre (Fetacre), Sindicatos dos Trabalhadores Rurais (STR’s), Secretaria de Estado de Assistência Agroflorestal e Produção Familiar (SEAPROF), prefeituras, dentre outros.

A execução do curso técnico agroflorestal ocorrerá na Escola da Floresta, Unidade Descentralizada do Instituto Dom Moacyr. "A participação das comunidades, desde o processo de escolha dos jovens que participarão do curso e nos momentos em que as atividades se realizam nas próprias comunidades, é de fundamental importância para o sucesso do projeto", concluiu Gerlande de Sales.

Mais notícias