https://i2.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2015/12/3943989035_5229aaf6bc_o.jpg?resize=780%2C400&ssl=1
Governo

Imac destaca redução do desmatamento e licenciamento do pirarucu em 2015

Da Redação
01.01.2016 8:00
Atualizado 31.12.2015 às 23:44

5057698805_fa14059988_o

Entre os destaques está o licenciamento do pirarucu, que regulamenta a exportação do peixe (Foto: Angela Peres/Secom)

O Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) firmou em 2015 importantes ações para o estado. Em encontro com o governador Tião Viana, o diretor-presidente no órgão, Pedro Longo, destacou alguns pontos, como a outorga dos recursos hídricos, o início das atividades de licenciamento do pirarucu, a Operação Floresta Viva e a redução do desmatamento em 10%.

O primeiro ponto, a outorga de água, autoriza o uso de recursos hídricos ou a dispensa, a qual estava prevista no Plano Nacional e no Estadual de Recursos Hídricos. O objetivo é preservar esses recursos, levando em conta a necessidade do uso racional e consciente, garantindo a sobrevivência às futuras gerações.

Sobre o licenciamento do pirarucu, o processo de certificação teve inicio com a publicação de uma instrução normativa que regulamenta a exportação do peixe, espécie considerada vulnerável. Além disso, determina o cadastro e licenciamento da atividade no estado. O pirarucu será ainda um dos alimentos oferecidos para os atletas nas Olimpíadas 2016.

Uma das principais atividades do órgão consiste em uma sala de situação de combate do desmatamento ilegal. Junto à Companhia Ambiental, o Imac deu início à Operação Floresta Viva, que monitora e averígua denúncias.

pedro longo e gov

Em encontro com o governador Tião Viana, o diretor-presidente do Imac, Pedro Longo, destacou as principais ações de 2015 (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Com isso, foi possível chegar ao resultado da redução de 10% do desmatamento ilegal. “Esse foi um importante resultado, pois em 2014 tivemos um acréscimo neste número. Então, houve uma redução de tendência, e isso vai ao encontro do que o Acre e o Brasil têm assumido nos fóruns nacionais e internacionais, como, recentemente, na COP 21”, avalia Pedro Longo.

Outro destaque foi o licenciamento ambiental do linhão, que levará energia elétrica até Cruzeiro do Sul. A primeira etapa, já concluída, transmite energia até Feijó.

Para 2016, o diretor ressalta que a prioridade é manter o controle do desmatamento ilegal de forma mais enérgica, o aprimoramento das rotinas internas e os estudos de procedimentos usados para licenciamentos.

Mais notícias