https://i2.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/06/WhatsApp-Image-2019-06-11-at-14.11.00.jpeg?resize=1095%2C400&ssl=1
Governo

Mais dois pacientes vítimas de explosão de barco em Cruzeiro do Sul são transferidos

Golby Pullig
11.06.2019 16:41
Atualizado 11.06.2019 às 16:41

Dois homens, vítimas da explosão da embarcação na sexta-feira, 7, foram transferidos na manhã desta terça do Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, para o Hospital João XXIII, unidade de saúde especializada alta complexidade de urgência e emergência, em Belo Horizonte. Valdir Torquato da Silva, de 56 anos, e Francisco Luna dos Santos, 65, foram transportados em um jato da Força Aérea Brasileira (FAB). O voo está previsto para chegar às 20h30, horário de Brasília.

Segundo a coordenadora da Regional de Saúde do Juruá, Raquel Batista, três centros especializados – em Brasília, Goiânia e Belo Horizonte – disponibilizaram vagas para os pacientes queimados na explosão do barco.

Jato da Força Aérea Brasileira (FAB) transferiram os pacientes para hospital em Belo Horizonte (MG) Foto: Divulgação/Hospital do Juruá

O critério usado para a remoção dos pacientes para os centros especializados é a estabilidade do quadro de saúde. Existe a previsão de transferência de mais pacientes durante a madrugada desta quarta-feira, 12, ou durante o dia. O horário não foi confirmado ainda.

Eliete Rodrigues da Silva, irmã de Valdir Torquato da Silva, informou que a família, que mora em Marechal Thaumaturgo, está abalada com todo o ocorrido. Na explosão foram feridos não só Valdir, mas sua esposa Jocicléia Silva (que está internada no Hospital de Urgência e Emergências de Rio Branco) e o filho do casal, P. V., de 4 anos, transferido na noite de segunda-feira para Belo Horizonte. Valdir tem 16 filhos.

“Irmãos e filhos estão unidos em oração. A situação é grave, ele está em coma, mas nós temos fé acima de tudo. A força a gente nem sabe onde está conseguindo”, diz Eliete Silva, que visitou o irmão todos os dias na Unidade de Treinamento Intensivo (UTI). As queimaduras atingiram o rosto, pescoço, pernas e braços de Valdir Torquato. “É grave, mas eu tenho esperança”.

A transferência dos pacientes queimados na explosão com a embarcação no Juruá é uma articulação do governo do Estado do Acre com o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Forças Armadas e Força Aérea Brasileira (FAB). Na explosão, 18 pessoas ficaram feridas. Cinco delas já receberam alta.

Mais notícias