https://i0.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2008/06/fotos_noticias_formatura_indios_12062008__6.jpg?resize=570%2C358&ssl=1
Educação

Instituto Dom Moacyr forma lideranças indígenas

Da Redação
12.06.2008 11:50
Atualizado 12.06.2008 às 11:50

Os dezoitos alunos do Curso de Formação Inicial de Gestores de Projetos foram diplomados na manhã desta quinta-feira, 12.

formatura_indios_12062008__6.jpg

Lideranças indígenas participam de curso de formação para elaborar e executar projetos (Foto: Angela Peres)

A formação foi destinada a representantes das 14 etnias indígenas do Acre. De acordo com a coordenadora do curso, Ana Abreu, os alunos foram orientados a realizar o trabalho de campo dentro das próprias comunidades, e a partir das necessidades iniciaram a elaboração dos projetos. “Nosso foco foram as demandas das comunidades”, enfatizou ela.

O curso iniciado em 2006 sob a coordenação da Secretaria Extraordinária dos Povos Indígenas, passou a ser executado pelo Instituto Dom Moacyr em 2007, foi dividido em cinco módulos. Foram enfatizados diversos temas, como a pesquisa de campo, elaboração de projetos, ciclo de vida dos projetos, prestação de contas e ferramentas de computação.

Irailton Lima, diretor-presidente do Instituto, destacou que os gestores indígenas estão aptos a partir do curso para elaborar, executar e gerenciar seus projetos. Além de possuírem o conhecimento para firmar parcerias e gerir os recursos. “Outros momentos formativos virão para consolidar o conhecimento das lideranças indígenas”.

Os recursos para a realização do curso de formação dos indígenas são fruto da parceria entre o Governo do Estado e a organização alemã GTZ. As aulas foram ministradas na Escola da Floresta. “A estrutura da Escola da Floresta é muito próxima da realidade das aldeias. Isso facilita o processo de aprendizagem”, lembrou Francisco Pianko, assessor indígena.

Para Alessandra Manchineri, representante das aldeias indígenas localizadas às margens do rio Iaco, a formação de gestores de projetos indígenas fortalece as comunidades. Alessandra e os demais formandos irão atuar como difusores de conhecimento e informações nas aldeias de origem. Segundo ela o conhecimento dos brancos aliados aos conhecimentos e práticas tradicionais dos índios possibilita a preservação da diversidade espacial e cultural sem afetar o meio ambiente. “Levo as informações do curso para fortalecer a minha comunidade”, ressaltou Alessandra Manchineri.

 

 

Mais notícias