Polícia Federal conclui segunda fase da Operação Caça Legal

Nesta etapa mais de 1,8 mil armas foram cadastradas

A Operação Caça Legal 2, realizada de Boca do Acre (AM) a Santa Rosa do Purus,  que teve como objetivo cadastrar e recadastrar armas de caçadores de subsistência que moram nas regiões de difícil acesso, foi concluída com a emissão de 1,8 mil registros. O trabalho realizado pela Polícia Federal teve duração de um mês. A operação foi desencadeada em seringais, colônias, comunidades ribeirinhas e aldeias indígenas. A população dessas localidades foi avisada previamente.

Nas duas edições da Operação Caça Legal, foram efetuados 3,4 mil registros de armas de fogo no Acre e em parte do Amazonas. A fase três da operação já está marcada para o mês de outubro e tem como objetivo atender a região do Carauari, descendo o Rio Juruá. Segundo o agente federal Renato Arruda, a operação disse que o objetivo de atingir as regiões mais longínquas foi atendido. No início deste período de verão a intenção da Polícia Federal é iniciar uma incursão pela BR-364 até Cruzeiro do Sul.

As próximas etapas serão realizadas já na próxima semana em Xapuri, nos dias 25, 26 e 27, na sede do Sindicato dos Produtores Rurais. Em Capixaba, o cadastramento das armas será feito nos dias 30 de junho e 1º de julho, também na sede do Sindicato dos Produtores Rurais, e no dia 11 de julho, no Projeto de Assentamento Tocantins, em Porto Acre, na associação de moradores. Para efetuar o registro, o interessado deve apresentar o documento de identidade e CPF.