Segurança

Polícia ouve depoimento de fiscal sanitário acusado de homicídio

Pedro Paulo, Assessoria Polícia Civil
10.03.2010 9:32
Atualizado 10.03.2010 às 9:32

Ele teria matado com um tiro a ex-namorada

O delegado Rafael Marcos Pimentel, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), colheu nesta terça-feira, 9, o depoimento de André Raimundo da Costa Júnior, 41, que teria matado com um tiro na cabeça Ely Felipe de Souza, 24, no último domingo, 7. Ele estava foragido desde o dia do crime, porém, sua representação de prisão foi expedida horas após os fatos e deferida pela Justiça em menos de 12 horas. André Júnior acabou preso pelo investigador Gilson Barros, no final da tarde em uma chácara na zona rural de Rio Branco.

Durante depoimento ao delegado Rafael Pimentel, André Júnior disse que ficou chateado por ter sido supostamente caluniado por Ely e que o disparo não teria sido proposital. Depois de prestar esclarecimentos ao delegado, ele foi encaminhado ao IML para o exame de corpo de delito e recolhido ao presídio do Estado à disposição da Justiça.

Os investigadores da DEAM vasculhavam a cidade desde a madrugada de domingo, 7. O crime aconteceu na Rua da Amizade, bairro Glória, na presença de várias pessoas. A polícia apurou que na última quinta-feira Ely procurou a 3ª Regional (Sobral), onde formalizou uma queixa de furto contra o fiscal. No mesmo dia, o acusado denunciou-a por calúnia. Ely afirmava que André havia furtado um aparelho celular.

Na tentativa de encontrar uma solução amigável para o caso, uma audiência foi marcada entre as partes para esta terça-feira, na 3ª Regional. No dia seguinte ao registro da queixa de furto e de calúnia, a mulher foi morta por André Júnior. Portanto, conforme o delegado Jarlem Alexandre, da 3ª Regional, a vítima nunca se queixou de ameaças naquela unidade policial e foi verificada também a ausência de reclamações de ameaças na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher.

O crime – Segundo informações de testemunhas, Ely, a irmã e o primo eram seguidos por um grupo de amigos quando André se aproximou em uma motocicleta de cor vermelha. Em tom de ameaça mandou que ela subisse na moto dizendo que a levaria para casa. 

A vítima teria se negado a acompanhá-lo. André teria saído em alta velocidade e poucos metros depois resolveu voltar até o local onde estava a vítima e sacou um arma, ameçando atirar caso Ely não obedecesse à sua determinação. Após uma breve discussão, o acusado apontou a arma e disparou contra a vítima, que ainda chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

Mais notícias