https://i0.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/04/DSC_0083.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Agronegócio

Produtores do Polo Wilson Pinheiro aderem ao novo programa de mecanização do governo do Acre

Samuel Bryan
01.07.2019 17:54
Atualizado 21.08.2019 às 17:32

Representantes do governo do Estado estiveram reunidos neste domingo, 30, com famílias produtoras do Polo Agroflorestal Wilson Pinheiro, localizado na Transacreana, em Rio Branco,  para tratar da disponibilidade de mecanização agrícola pelo Fundo Agropecuário Estadual 2019 (Funagro).

Cerca de 30 famílias produtoras se reuniram com o secretário de Produção e Agronegócio (Sepa), Paulo Wadt, para entender como o Funagro funciona. Este ano o programa foi expandido, com o compromisso da nova gestão de colocar fim ao descaso em que a maioria dos agricultores eram submetidos em anos passados, quando a cessão não era considerada igual para todos.

Secretário Paulo Wadt e representantes do Polo Wilson Pinheiro discutiram mecanização e regularização fundiária Foto: Cedida

Segundo Paulo Wadt, o programa foi reformulado depois da recuperação e manutenção de todas as máquinas estaduais, muitas sendo usadas indevidamente ou abandonadas em áreas rurais pelo Estado.

“O Funagro foi formatado para tornar acessível a utilização dessas máquinas, sem beneficiar grupos ou pessoas específicas. No caso do Polo Wilson pinheiro, eles reclamavam que não tinham acesso a essas máquinas, apenas as que podiam ser alugadas por terceiros com preços altos”, conta o secretário.

No programa Funagro as máquinas são alugadas por um preço fixo por dia, de forma que o produtor pode usar de acordo com a disponibilidade e tipo de serviço. E no caso de associações, elas terão autonomia para poder reunir um número maior de produtores para tratarem em conjunto do uso dessas máquinas.

Técnicos da Sepa já foram escalados para visitar os produtores do polo em julho e fazer o planejamento do uso das máquinas para as atividades do agronegócio.

Regularização é desafio

Outro tema tratado durante a visita ao Polo Wilson Pinheiro foi a regularização fundiária. Esse é um dos programas mais amplos que o governo do Acre pretende desenvolver nesta gestão e uma das principais frentes de trabalho da Sepa junto com as prefeituras, para beneficiar mais de dez mil famílias da área rural do estado. Tudo isso fazendo parte do contrato de cooperação entre o Instituto de Meio Ambiente (Imac), o Instituto de Terras do Acre (Iteracre) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

O Polo Wilson Pinheiro possui quase 20 anos de criação e nenhuma família moradora recebeu o seu título definitivo até hoje. A presidente da Associação dos Moradores do Polo, Aparecida Nonato, destacou que foram feitas várias promessas, mas que nunca foram cumpridas. “Passa ano e passa ano, mas tudo continua a mesma coisa”, conta.

Segundo Paulo Wadt: “Esse é um problema sério que ainda não foi equacionado devido à complexidade da lei que gere os polos agroflorestais. O governador Gladson Cameli determinou que esse problema seja solucionado o mais rápido possível junto com o Iteracre e a PGE, com a reformulação da lei para que todos possam receber seus títulos”.

Mais notícias