https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/06/Major_Rocha.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Educação

Reitores de instituições de nível superior no Acre pedem apoio ao governo do Estado

Resley Saab
10.06.2019 16:16
Atualizado 11.06.2019 às 17:00

Governador em exercício, Major Rocha, garantiu auxílio às instituições, na tentativa de sensibilizar governo federal a não cortar mais de R$ 20 milhões em verbas de serviços essenciais

O governador do Estado do Acre em exercício, Major Rocha, recebeu os administradores da Universidade Federal do Acre (Ufac) Guida Aquino e representantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac), na tarde desta segunda-feira, 10. Na pauta, os cortes pelo governo federal de mais de R$ 20 milhões em verbas destinadas a serviços essenciais para que as duas instituições possam funcionar normalmente.

O objetivo: pedir apoio do Governo do Estado do Acre para que faça gestões junto à bancada acreana em Brasília para que esta sensibilize o governo federal dos prejuízos que esse esvaziamento de recursos causará para a comunidade acadêmica no Acre.

Governador Rocha em reunião com reitores e pró-reitores da Ufac e do Ifac; na pauta da reunião, o corte de verbas na educação superior (Foto: Odair Leal/Secom)

Conforme a reitora da Ufac, Guida Aquino, o corte feito pelo Ministério da Educação nos recursos chega a R$ 15 milhões, enquanto que no Ifac, ela é de R$ 5,8 milhões, segundo Claudemir Alencar, pró-reitor de Administração.

“Todos esses serviços, senhor governador, são destinados para manutenção. Aí seremos então prejudicados no pagamento da energia, da limpeza e dos serviços de segurança”, explicou Aquino ao governador Rocha. O dinheiro que tem em caixa, segundo a reitora da Ufac, é o suficiente apenas para o final de julho. “Depois disso, corremos o risco de entrar em colapso”, alerta ela.

Da sua parte, Major Rocha afirmou que o governo está sensível ao problema e que nesta semana, o estado participará da reunião com os deputados e senadores acreanos com o Ministério da Educação e Cultura (MEC), para encontrarem a melhor maneira de fazer com que o governo Bolsonaro reverta essa situação.

“Entendemos a preocupação de vocês e vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para, com os nossos parlamentares, encontrarmos uma forma de sensibilizarmos o MEC quanto a questão”, garantiu Rocha.

Participaram também da audiência com o governador Rocha, o vice-reitor da Ufac, Josimar Ferreira e o pró-reitor de Planejamento, Alexandre Hid.

Mais notícias