Segurança

Secretaria de Segurança realiza reunião extraordinária para discutir diretrizes do Gefron no Acre

O secretário de Justiça e Segurança Pública do Acre, coronel Paulo Cézar, participou da primeira reunião extraordinária do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras (GGIF), realizada no Palácio da Justiça, juntamente com os órgãos que fazem parte das ações integradas nas regiões de fronteira. O objetivo é apresentar as propostas da Sejusp de ações integradas, bem como discutir as problemáticas e fazer um diagnóstico da realidade fronteiriça local.

O secretário de Justiça e Segurança Pública do Acre, coronel Paulo Cézar, participou da primeira reunião extraordinária do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras (GGIF), juntamente com todos os órgãos que fazem parte das ações integradas nas regiões de fronteira. Foto: Ascom/Sejusp.

“Estamos na fase de construção com a Secretaria Nacional de Segurança Pública em uma parceira para a instalação de três bases de fronteiras permanentes no ano de 2020, nos municípios de Assis Brasil, Santa Rosa e Epitaciolândia que atenderá também Brasileia, e, com isso, possibilitará ações que efetivamente nos darão uma melhor qualidade no combate ao narconegócio que o elemento fomentador de crimes na região norte do país”, destacou.

A reunião contou com representantes das polícias Federal, Militar, Civil, Rodoviária Federal, Ministério Público do Acre, Receita Federal, Exército, Anvisa, Tribunal de Justiça do Acre e do Corpo de Bombeiros do Estado.

Para o coordenador do Arco Norte da CGFRON/SEOPI/MJSP, Maurício Pinheiro, este momento é de alinhar as ações integradas, ouvir os órgãos de segurança pública e definir estratégias de combate ao narconegócio nas fronteiras.

“A reunião foi importante para expormos as propostas das nossas ações enquanto segurança a todos os órgãos representados aqui, bem como ouvi-los também, saber das problemáticas e com isso nos preparamos para um segundo encontro que será uma reunião de coordenação com as autoridades bolivianas para atuação conjunta na área de fronteira” explicou.