https://i1.wp.com/www.agencia.ac.gov.br/wp-content/uploads/2019/03/IMG-20190311-WA0009.jpg?resize=1200%2C400&ssl=1
Segurança

Segurança inicia capacitação de profissionais para uso de nova ferramenta

Lilia Camargo
11.03.2019 16:11
Atualizado 11.03.2019 às 16:54

Com o objetivo de capacitar os profissionais que irão trabalhar diretamente com a ferramenta de combate aos crimes contra o patrimônio, deu início, nesta segunda-feira, 11, o curso para o sistema de monitoramento conhecido como ‘cerco eletrônico’. Ao todo, são sete barreiras, com 21 câmeras de monitoramento, espalhadas em pontos estratégicos.

A princípio, a ferramenta só vai operar em Rio Branco, contudo há parcerias em andamento com a Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal para a implantação das câmeras também nas entradas e saídas dos municípios que fazem fronteira com o Estado.

O sistema registra a foto de todos os veículos que passarem pelas barreiras e as placas são lidas pelo equipamento, que armazena a informação na base de dados, graças a um software inteligente acoplado as câmeras.

Secretário de Segurança, Paulo Cézar dos Santos, em curso de capacitação; dispositivos são essenciais para inibir o crime, nos dias de hoje (Foto: Asscom/Sejusp)

Caso haja uma restrição de furto ou roubo, ou mesmo um indicativo de suspeita emitido pelas forças de segurança, será disparado um alerta no Centro Integrado em Operações (CIOSP) e os operadores repassarão todas as informações do carro, tais como trajeto, cor e modelo aos policiais de plantão.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Paulo Cézar dos Santos, diz que a implantação do sistema é um marco para a segurança pública do estado que pretende com isso diminuir crimes a incidência de crimes contra o patrimônio.

“Hoje iniciamos a capacitação desses analistas que são profissionais do sistema público estadual e federal e vão trabalhar diretamente com o cerco eletrônico. Com certeza é um marco para o ingresso do Acre nessa nova tecnologia que é eficiente e eficaz na diminuição dos indicadores de criminalidades”, disse o secretário.

Mais notícias